Bruno Filippo analisa sorteio da ordem do desfile do Grupo Especial

Unidos da Tijuca evitará que público deixe o Sambódromo mais cedo

Por O Dia

Desde que o Sambódromo dividiu em dois dias o desfile das principais escolas de samba, a estatística dá pouca margem de erro àqueles que afirmam ser uma vantagem desfilar na segunda-feira: nos últimos vinte e nove carnavais, entre 1985 e 2013, somente em seis anos a campeã desfilou no domingo: 1985 (Mocidade), 1987 (Mangueira), 1994 (Imperatriz), 1996 (Mocidade), 2006 (Vila Isabel) e 2010 (Unidos da Tijuca).

O ano da inauguração do Sambódromo (1984) não entrou na contagem porque, naquele ano, o regulamento foi único, com campeã em cada um dos dias (Portela - Domingo; Mangueira - Segunda) e ambas disputando, no sábado seguinte, o supercampeonato, vencido pela Mangueira. Outro ano atípico foi 1998: no único empate até hoje da Era Sambódromo, Mangueira e Beija-Flor, desfilaram no mesmo dia - e ambas somam duas campeãs na relação das vitoriosas do segundo dia.

Liesa%2C Sorteio%2C Grupo EspecialRicardo Almeida / Divulgação



Equilíbrio de forças entre os dois dias

Por isso, não é à toa que, nos sorteios que definem a ordem de desfile, as salvas de palmas mais estridentes se ouvem quando a bolinha aponta para o penúltimo dia Gordo. Porém 2014, que marca as três décadas da obra de Oscar Niemeyer, pode aumentar essa margem de erro, depois que o sorteio da noite desta segundo levou ao equilíbrio de forças entre os dois dias, com boas perspectivas para o domingo.

No primeiro dia, pesos-pesados como Mangueira, Salgueiro e Beija-Flor - as três últimas, nesta ordem. Outra escola forte, a Grande Rio, é a segunda a desfilar - e terá boas razões para, nos oitos meses que separam o inverno carioca das águas de março que fecham o atípico carnaval do ano que vem, pesquisar o que fazer para espantar o azar.

Ser a segunda de domingo, à frente da campeã do acesso do ano anterior - normalmente, escola de pouco apelo de público e condenada à expressão revertere ad locum tuum -, é como abrir o desfile. Império da Tijuca, que depois de anos volta ao Especial, e São Clemente, que de ioiô passa a acostumar-se a ficar em cima, completam o dia.

Império da Tijuca abrirá e Unidos da Tijuca vai encerrar maratona de desfilesFernando Azevedo / Divulgação



Unidos da Tijuca em boa posição

Na segunda-feira, a campeã Vila Isabel e a aguardada Unidos da Tijuca, que fechará o desfile. Portela, com a expectativa gerada pela nova diretoria; Mocidade, com enredo muito bom e sua torcida sempre aguerrida; União da Ilha, escola que tem surpreendido positivamente, ainda que a colocação não corresponda ao desfile; e a Imperatriz, com homenagem ao Zico, são as outras escolas do dia.

Sendo a última a desfilar, a Unidos da Tijuca evitará que o público deixe o Sambódromo mais cedo, antes de o desfile terminar. E como existe o mito de que a última, quando se trata de escola grande e de força popular, ganha um handicap favorável, pode haver uma tendência a exagerar o favoritismo da Tijuca. Não é tão simples assim. Voltarei a este assunto na próxima coluna.

* Bruno Filippo é jornalista e sociólogo

Últimas de Carnaval