Por raphael.perucci

Rio - A Beija-Flor entrará na Sapucaí com 24 passistas no abre-alas. O grupo, que é formado, em sua maioria por moradoras Nilópolis, Nova Iguaçu e Mesquita, foi escolhido por Laíla. Para fazer bonito, as meninas têm ensaiado separadas do restante da escola todas as quartas-feiras. Na quinta, dia do tradicional treino da agremiação, as sambistas se juntam ao restante da ala, que conta com 150 passistas.

Beija-Flor terá 24 passistas no abre-alasDiego Mendes / Divulgação

O mais novo do grupo, Lorenzo, de apenas 4 anos, é filho de Aline da Silva, uma das coordenadoras da ala. O mais antigo é Alexandre, mais conhecido como Zóio, que desfila há mais de 20 anos. Como não tem escola mirim, a Beija-Flor costuma investir bastante nas crianças. Para formar novos talentos, a diretoria promove escolinha de passistas aos sábados. A responsável pelo segmento é Michele Lima, que continuou o trabalho iniciado por Selminha Sorriso e o falecido Edinho. A porta-bandeira comandou o setor entre 2008 e 2013.

"Fazemos tudo com muito amor, o ano todo. E estamos sempre conversando não só entre nós como com as crianças e seus pais. Queremos saber, por exemplo, se estão se alimentando bem. Por conta do calor, a hidratação recebe atenção especial", explica a coordenador Aline da Silva. No dia 22 de fevereiro, passistas da escola vão estrear o espetáculo 'A história da Beija-Flor - A Deusa da Passarela e suas magias', elaborado pelo coreógrafo Patrick Carvalho. O enredo da azul e branca da Baixada exalta a vida e a obra de Boni.

Laíla escolheu o grupo que virá na abertura da escolaDiego Mendes / Divulgação


Você pode gostar