Por raphael.perucci
Rio - Veterana no Carnaval, onde começou aos 2 anos acompanhando ensaios de escolas de samba e blocos com uma tia, a porta-bandeira do Império da Tijuca, Jaçanã Ribeiro, hoje com 34 anos, vive a expectativa de defender o pavilhão de uma escola do Grupo Especial pela primeira vez. Além disso, o desfile de 2014 será ainda mais inesquecível por outro motivo: a filha Victória Ferreira, 11, fará sua estreia como terceira porta-bandeira mirim na Estrelinha da Mocidade.

"Foi uma coisa natural. A Victória sempre me acompanhou nos ensaios e começou a gostar. Eu amo Carnaval e sempre fui envolvida com samba. Isso passou para minha filha, que já aprendeu que a dedicação tem que ser total. Fazemos muitas renúncias na vida em nome da dança", diz Jaçanã, que além de porta-bandeira de agremiações como Alegria da Zona Sul, Unidos do Cabral e Foliões de Botafogo, foi rainha de bateria da extinta Canários das Laranjeiras quando tinha apenas 16 anos.

Jaçanã posa com a filha%2C Victória%2C a tia%2C Rosa%2C e a mãe%2C Marly (D)Divulgação