Por raphael.perucci

Rio - Depois de seis anos de Carnaval à frente do Bloco Cru, a cantora Lu Baratz, 30, já está mais que acostumada a comandar uma massa de gente. Para 2014, porém, nunca foi tão importante para ela o famoso grito de guerra “agora é com vocês, galera!”. É que no show de sua trupe na folia este ano, marcado para o dia 3 de março, segunda-feira de Carnaval, na Praça 15, Lu já estará com um barrigão de oito meses.

“Senão eu desmaio, sem ar. Já é muito desgastante ficar na frente de uma bateria de escola de samba, ainda mais no calor do Carnaval, e as grávidas sentem isso muito mais intensamente. O ar diminui, e eu preciso de ar para cantar. Além de contar com a ajuda da galera, ensaiamos mais momentos instrumentais da bateria, aí eu tenho tempo de respirar”, conta a cantora.

Apesar da gravidez anunciada praticamente coincidir com os festejos carnavalescos, em nenhum momento a líder do Bloco Cru — que se destacou como um dos precursores no Rio em tocar clássicos do rock em ritmo de samba — pensou em desistir de sua tradicional apresentação.
“Sou teimosa! Mas, por precaução, estou preparando uma cantora substituta que vai estar lá no palco caso o bebê queira pular para o lado de fora. Afinal, o show não pode parar. Existe um percentual de risco, de ser um bebê apressado, mas a minha Catarina vai ficar quietinha, ela se diverte quando estou no palco, ela gosta. É muito especial esta apresentação no Carnaval. E, quando estou alegre, sinto que ela está bem. Vou me controlar na parte física, adaptei minhas coreografias, vou evitar movimentos muito vigorosos ou ir até o chão. Mas o prazer será o mesmo. Aliás, será melhor ainda!”, festeja.

A vocalista Lu Baratz mostra o barrigão na foto maior e posa com os músicos da tropa do Bloco CruRaphael Feitoza

Ainda que seja seu primeiro “bebê-Cru”, Lu Baratz já se sente experimentada, e dá dicas às grávidas que, assim como ela, não querem perder a farra de Momo por nada. “Recomendo ir para alguma área especial, fora do meio da galera, procurar as laterais. E, acredite, dá para se divertir bastante assim. E beber muita água. Bebida alcoólica, nem pensar. Acho que as grávidas têm que beber apenas água e sucos. E comer muitas frutas”, recomenda ela, que entende do riscado quando o assunto é Carnaval no Rio.

Foliã frenética, Lu conta, entusiasmada, que a missão no Carnaval 2014 não se resume apenas ao show na Praça 15. “No dia seguinte, o Bloco Cru toca pela primeira vez em São Gonçalo, em cima de um trio elétrico. E na véspera estaremos em Barra Mansa”, lista ela.

ROMANCE NO BLOCO

Este ano, Catarina vai apenas sentir as vibrações do surdo, do pandeiro e do tamborim. Mas, para 2015, a mãe carnavalesca já está sonhando em levar a pequena para estrear na Avenida. “Até já comprei a primeira fantasia dela, é de vaquinha, toda malhadinha! Não ache estranho, é que um dos músicos do Cru sempre toca com uma fantasia de vaca gigante”, explica a cantora. “Tenho que me controlar. Senão, não gasto todo meu dinheiro comprando fantasias para ela”, diverte-se ela.

Lu Baratz conheceu o marido, o publicitário e guitarrista Felipe Bellard, nas oficinas de percussão do Bloco Cru, que acontecem toda segunda e quinta-feira, na Casa da Matriz, em Botafogo. “Vamos colher o bendito fruto da folia”, declara a cantora, orgulhosa da cria. “O Carnaval aqui é com açúcar e com afeto: desde a história da minha mãe rasgando seu coração e o bolso, pegando seu FGTS pra investir na folia da filha, até meu casamento”, resume.

E, neste ano, os frutos se multiplicam mesmo. “O Carnaval dura até a Copa do Mundo, e o Cru está preparando seu ‘carnarock futebolístico’, para apresentar depois dos dias de folia, já no embalo do ano festivo. Abram-alas para a batucada rock!”, decreta Lu Baratz.

Rock de Chico Buarque no roteiro

Lu Baratz e seu Bloco Cru, carinhosamente apelidados de Lu & Cru, entram em cena na segunda-feira de Carnaval, na Praça 15, para reunir mais de 40 mil pessoas. Este é o sexto ano de folia da trupe, que começou na porta da Casa da Matriz, em Botafogo, em 2009, reunindo cerca de três mil animados foliões.

Em 2014, trazem novidades: participação do DJ Sany Pitbull e um repertório brasileiro na linha de frente. Do rock and roll ‘Jorge Maravilha’, de Chico Buarque (sim, ele já compôs rock) ao grito ‘Divino Maravilhoso’, de Caetano Veloso, misturados a clássicos gringos de Pearl Jam, Rolling Stones, Beatles e Metallica. A vocalista se apresenta acompanhada dos roqueiros Felipe Aranha (guitarra), Eliza Schinner (baixo) e Emile Saubole (bateria), junto do trio que vem diretamente da Marquês de Sapucaí: Léo Arruda (percussão), Thadeu Meira (surdo) e Pedrinho Ferreira (percussão). A este núcleo, juntam-se dezenas de ritmistas, formados pela Escola de Rock e Batuqueria do Cru.

Você pode gostar