São Sebastião abençoa e Sambódromo tem lavagem para o Carnaval

Baianas e casais de mestre-sala e porta-bandeira marcaram presença na Passarela do Samba

Por O Dia

Rio - Antes do ensaio da Vila Isabel, o tradicional ritual da lavagem da Sapucaí marcou o início de noite no Sambódromo. Apresentado pelo locutor oficial do Carnaval, Jorge Perlingeiro, grupos religiosos de candomblé e umbanda, diversas baianas, casais de mestre-sala e porta-bandeira, o grupo filhos de Gandhi, Cacique de Ramos e dezenas de crianças figuraram o costume que abre os caminhos para o Carnaval.

Milton Cunha participou da 'Lavagem do Sambódromo'Mariana Moreno / Divulgação

Após diversas homenagens preparadas por Milton Cunha, o show de Dudu Nobre marcou a passagem dos segmentos pela Passarela do Samba. O presidente da Liesa, Jorge Castanheira, também se posicionou ao pedir um minuto de silêncio pela morte do coordenador de desfiles Eugênio Onça.

Uma bateria mesclada com ritmistas de diversas escolas de samba embalou o ritual. Os mestres Casagrande e Paulinho comandaram o ritmo pelo Sambódromo. A marca do ritual ficou pela 'presença' de São Sebastião. O padroeiro da cidade abençoou o espetáculo, que vai ser iniciado oficialmente na próxima sexta-feira, com os desfiles da Série A.

Lavagem da Sapucaí abriu as atividades na última noiteMariana Moreno / Divulgação


Últimas de Carnaval