Por thiago.antunes

Rio - Diretores de blocos tradicionais que desfilam na Avenida Rio Branco vão protestar nesta quinta-feira, às 9h, em frente ao Palácio Guanabara, sede do governo estadual, pela falta de repasse de verbas. O protesto é organizado pela Liga Independente dos Blocos de Embalo do Rio (Liberj) que abrange 20 agremiações, como Badalo de Santa Teresa, Afoxé Filhos de Gandhi, Deixa Falar, do Estácio, Pagodão de Madureira e Bloco Afro Lemi Ayo.

O diretor da Liberj, Robson Silva, estima que, pelo menos, 40% dos blocos associados não vão conseguir desfilar por falta de incentivos. Segundo Silva, a quantia de cerca de R$ 3 mil por bloco, é utilizada em aluguel de carros de som, aquisição e manutenção de instrumentos musicais, fantasia e transporte e alimentação dos membros.

“O governo privilegia os blocos da Zona Sul e os que estão na moda, e não tem interesse em contemplar blocos tradicionais, vindos do subúrbio, que têm 60 anos de rua”, disse Silva. O presidente do Bloco Lemi Ayo, de Bangu, Antonio da Silva Filho, contou que os diretores se endividaram para que eles conseguissem sair este ano.

Você pode gostar