Por tabata.uchoa
'Nada pode dar errado! Se arrebentar a roupa ou o salto%2C eu entro%2C desfilo até de pé quebrado'%2C diz Patrícia NeryUanderson Fernandes / Agência O Dia

Rio - Um capítulo da história do Rio de Janeiro será mostrado na Avenida este ano pela tradicional escola de Madureira. Com o enredo ‘Um Rio de Mar a Mar: do Valongo à Glória de São Sebastião’, a Portela vai mostrar o cais que recebia os escravos da África e aquele por onde se locomovia a corte brasileira, contrapondo a cidade.

Pelo segundo ano consecutivo à frente da bateria, Patrícia Nery não esconde o otimismo com a Azul e Branca para o desfile deste ano. “Minha expectativa é a melhor possível. Hoje em dia, a Portela é uma escola pronta. Estou muito otimista porque vejo que a escola está muito bem e preparada”, afirma ela, confiante.

Aos 40 anos e com um corpão de dar inveja, Patrícia pega pesado nos exercícios para manter a forma e assume que tem uma rotina intensa no dia a dia. A rainha faz ginástica aeróbica, MMA, balé, musculação e pilates. A alimentação também é rígida e ela garante que, desde outubro, sua única escapada foi uma rabanada no Natal. Tudo para brilhar na Avenida. “Nada pode dar errado! Se arrebentar a roupa, eu entro. Se quebrar o salto também. Entro até de pé quebrado”, exagera.

LETRA DO SAMBA

Compositores: Toninho Nascimento, Luiz Carlos Máximo, Waguinho, Edson Alves e J. Amaral
Intérprete: Wantuir

O canto do Cais do Valongo ôôôôôôô
Que veio de Angola, Benin e do Congo
Tem samba, capoeira e oração
O rio sai da roda de jongo e vai desaguar
Na Glória de São Sebastião
Oi bota abaixo, sinhô
Oi bota abaixo, sinhá
Lá vem o rio de terno de linho (bis)
E chapéu panamá
A correnteza de um rio branco é que traz
A arte do canto e a dança,
Todos os sons musicais,
O teatro da vida não sai de cartaz
A ilusão é uma atriz se exibindo na
praça linda e feliz eu vou
Da Revolta da Chibata ao sonho que
faz passeata
Seguindo a canção triunfal nesse rio
que vem e que vai
Traço o meu destino (bis)
E viro menino pra brincar de Carnaval
Sou carioca, meu jeito é de quem vem
com o sorriso do samba que a gente tem
Meu peito é um porto aberto
pra te receber, meu bem
Vou de mar a mar, mareia
Vou de mar a mar, mareia, mareou
Iluminai o tambor do meu
terreiro (bis)
Óh! santo padroeiro
O axé da Portela chegou

Você pode gostar