Por thiago.antunes

Rio - Parecia a Fórmula-1 dos velhos tempos, com os ‘pegas’ memoráveis de Senna e Prost. Na tensa apuração da tarde desta quarta-feira, Unidos da Tijuca e Acadêmicos do Salgueiro duelaram pela primeira colocação quase lado a lado. O Borel chegou à Apoteose primeiro, com um décimo de ponto de vantagem. Fosse numa corrida de verdade, a direção de prova precisaria de um photochart para o tira-teima...

Pelo que as escolas apresentaram na pista, era possível montar um ‘grid de largada’ mais ou menos assim: na pole-position, o Salgueiro — da cor da Ferrari —, seguido pela auriverde Imperatriz. Tijuca e Portela vinham na segunda fileira, ávidas. A Vila, com nítidos problemas no boxe, sabia que teria de largar lá atrás. Quase uma corrida de retardatária.

E Jorge Perlingeiro deu a partida! A primeira volta, Enredo, terminou com quatro escolas coladas com 30 pontos: Tijuca, Salgueiro, Imperatriz e... União da Ilha, que correu por fora, entrou no vácuo da Portela e roubou o lugar. Na volta seguinte, lidas as notas de Fantasias, Ramos e Ilha passaram voando, com 60 pontos, seguidas de perto pelas tijucanas.

Componentes da Unidos da Tijuca vibram com o título de "Campeã 2014" Foto%3A Vítor Silva / Agência O Dia

Em Alegorias e Adereços, tudo mudou. A escuderia de Paulo Barros pulou à frente, e o casal Lage teve problemas mecânicos que puseram o Salgueiro em terceiro. Imperatriz seguia em segundo. Em Samba-enredo, mais troca-troca na ponta. Tijuca, com um hino fraco, rateou e perdeu meio ponto. A Portela só tirou 10, como era previsto, e encostou nos líderes.

Beija-Flor, que estava entre as ‘correndo por fora’, praticamente perdeu um pneu nessa volta, vendo um ponto inteiro evaporar. Ali, Nilópolis só estava à frente de São Clemente e Império da Tijuca. Salgueiro, impecável, alcançava a dianteira da prova pela primeira vez. E ali ficaria por mais duas voltas: Harmonia e Evolução. O ronco do motor da Imperatriz não agradou, e Ramos perdeu posições. A Portela, constante, tomou o terceiro lugar, de onde não sairia mais até a bandeirada.

Em Conjunto, a Academia não rendeu bem, deixando o Borel ultrapassar pela esquerda. E as tijucanas travaram, curva a curva, um duelo frenético em Comissão de Frente e Bateria, sem perder nenhum décimo. Mas a Azul e Amarela soube administrar a vantagem para cruzar a linha de chegada!

Você pode gostar