Lugar de samba é na rua: Cidade vira passarela para os ensaios

Hoje é dia da Portela e da Mangueira

Por O Dia

Rio - O som do apito do mestre de bateria anunciava à vizinhança que o Salgueiro daria o tom da noite na Rua Silva Teles, no Andaraí. Era o início da concentração para mais um ensaio técnico de rua, que desde dezembro vem mudando a rotina das quartas-feiras no bairro. Em outros pontos da cidade, as principais escolas de samba também esquentam para o desfile como no tempo dos antigos carnavais: tomando o asfalto e as calçadas próximas aos barracões. 

O gingado contagiante das passistas do Salgueiro na Rua Silva Teles%2C no Andaraí Alexandre Brum / Agência O Dia


Pelas janelas, moradores observavam mestre-sala e porta-bandeira rodopiando sob a passarela de pedestres no Boulevard 28 de Setembro, em Vila Isabel. “Lá vem o trem, o trem caipira”, cantavam os foliões. A escola do bairro tomava a via ao mesmo tempo dos vizinhos salgueirenses, separados por alguns quarteirões. “Na rua é mais animado. Acaba resgatando aquele espírito dos blocos tradicionais”, disse a professora Angela Grossi, de 40 anos.

Tanto no ensaio do Salgueiro quanto da Vila Isabel, não eram apenas os integrantes das escolas que tinham lugar atrás da bateria. Moradores, entre crianças e idosos, se misturavam às alas dos componentes das agremiações. “A maioria vai desfilar, mas as pessoas acabam entrando no meio para se divertir também. É muito mais contagiante do que na quadra”, disse o componente de uma das alas, Sergio Alves, de 38 anos.

Na Rua Silva Teles, a porta-bandeira do Salgueiro, Marcella Alves, de 30 anos, teve que tomar cuidado com os buracos do asfalto: “A pista não ajuda mas é importante porque a gente consegue retratar o tempo de apresentação. Além disso, precisamos dessa integração com a comunidade. É uma chance deles nos verem de perto”.

O carnavalesco Max Lopes, da Vila Isabel, aproveitava para elogiar as passistas que vinham dançando perto da bateria. “Esse ensaio na rua é fundamental porque é um termômetro para o que vamos apresentar na Sapucaí. Pelo jeito, esse ano a Vila vem com tudo”, afirmou.

Apesar da festa, também há quem desaprove o horária dos ensaios. Enquanto a Vila Isabel passava fechando uma das pistas da 28 de setembro, um congestionamento se formou na pista da esquerda. “Em plena quarta-feira resolvem fazer um ensaio de escola de samba numa via principal. É um absurdo, principalmente neste horário”, disse um advogado, que passava de carro pela região.

Como diz a música: quem não gosta de samba... 

‘Uma alegria maior que na Sapucaí’

Sentados em um barzinho de Vila Isabel, os sambistas Nelson Rufino, Paulo Daltro e Bira da Mangueira assistiam a escola passar enquanto degustavam uma porção de aipim com carne seca. “É lindo ver que a Vila não põe salto alto e continua desfilando na rua. O que vimos aqui foi um transporte, uma imaginação da Sapucaí para a rua”, disse Nelson, que acabava de chegar de Salvador. “Pode escrever aí, Nelson é da Vila, é da boemia!”, completou.

Para Bira da Mangueira, as escolas tendem a “invadir” ainda mais as ruas. “É uma tendência a escola ficar mais na rua e não só na quadra. O povo está carente disso. Hoje eu vi uma coisa que eu adorei: o povo abraçar a escola. Acho que a alegria da rua é maior até da que a da Sapucaí”, disse. 

NA AGENDA

Hoje é dia de ensaio técnico na rua e na Sapucaí. Às 19h, a Portela se concentra para desfilar na Estrada Intendente Magalhães, em Campinho. A Mangueira ensaia na Rua Nova (paralela à Rua Visconde de Niterói), no mesmo horário. No Sambódromo, às 20h, a Viradouro pisa na Avenida, seguida da Vila Isabel.
Moradora de Campinho, a dona de casa Marcia Santos, 50, reclamou dos transtornos causados pelos ensaios na Intendente. “O barulho incomoda e deixam muita sujeira”.

A Portela fará outro desfile de rua no Campinho dia 18, e no dia 25 na Estrada do Portela, em Oswaldo Cruz. A Mocidade ensaia toda quarta-feira até o Carnaval, a partir de 21h, na Praça Guilherme da Fonseca, perto do estádio Moça Bonita, em Bangu.

Os ensaio de rua da Vila Isabel acontecem todas as quartas e domingos até o desfile. A concentração é em frente ao Petisco da Vila, a Partir das 20h. O Salgueiro desfila no próximo dia 14 na Rua Maxwell, na Tijuca, e depois no dia 28, sempre às 21h. O Salgueiro desfila no próximo dia 14 na Rua Maxwell, na Tijuca, e depois no dia 28, com início às 21h.

Reportagem: Lucas Gayoso

Últimas de Carnaval