Por nicolas.satriano

Rio - "Esse ano é nosso. Vamos levar essa parada", disse o contraventor e patrono da Mocidade Independente de Padre Miguel, Rogério de Andrade, durante a concentração da escola, a terceira do Grupo Especial a desfilar na noite deste domingo. O contraventor desejava boa sorte aos integrantes da bateria quando, confiante, disparou que a Mocidade será vencedora este ano. Além dele, o carnavalesco Paulo Barros também caminhava no meio dos integrantes ajudando a preparar a entrada dos componentes na Avenida.

O mestre de bateria Andrezinho, ex-integrante do grupo Molejo, afirmou que a bateria vai trabalhar este ano para garantir os 40 pontos.

"Vamos fazer jus ao nome de bateria 'Não Existe mais Quente'."

Emocionado, Paulinho Moska, homenageado pela Mocidade este ano, disse não ter noção da grandiosidade disso tudo: "Já fiz show para mais de 50 mil pessoas, mas a emoção é sem igual. Estava falando com a minha mulher que já senti a grandiosidade de festivais, mas não consigo medir a grandiosidade que há na Sapucaí. Estou meio sem chão. É como uma viagem de drogas".



Você pode gostar