Feriado prolongado impede que pais deixem os filhos em creches públicas

Para famílias que dependem das creches e dos Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs), vida só volta ao normal na 2ª

Por O Dia

Rio - Com o fim do Carnaval, aos poucos a vida vai voltando ao normal para a maioria das pessoas. Quem precisa dos serviços públicos, porém, terá que esperar até segunda-feira para retomar a rotina.

Um problema sério para famílias que dependem das creches e dos Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs) da Prefeitura do Rio. Os locais permanecem fechados nesta sexta-feira. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (SME) o recesso escolar já estava previsto no calendário de 200 dias letivos exigidos por lei e divulgados em outubro do ano passado.

O vendedor Franklin dos Santos, de 37 anos, viajou por três horas do município de Cordeiro, na Região Serrana, onde mora, até a sede do Detran, na Avenida Presidente Vargas, no Centro, na sexta-feira, para recorrer do pagamento de uma multa.

Entretanto, não havia expediente porque foi decretado ponto facultativo no órgão. Ontem, Franklin voltou ao Rio para fazer o pedido de recurso, mas não teve sorte novamente. Segundo ele, apesar de haver expediente no prédio, os funcionários alegaram que o sistema não estava funcionando.

Franklin dos Santos conta que veio de Cordeiro ao Rio para recorrer de multa e encontrou o Detran fechadoDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

“A gente tenta fazer o certo e não consegue. Estou revoltado”, criticou o morador de Cordeiro, acrescentando que gastou R$ 55 com cada passagem de Cordeiro ao Rio. O Detran informou que todas as unidades no estado e o serviço de teleatendimento voltaram a funcionar na quarta-feira, à tarde, exceto o edifício-sede, na Presidente Vargas, onde o atendimento ao público voltou nesta quinta-feira.

As 21 Vilas Olímpicas da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer do Rio reabrem hoje, a partir das 8h, oferecendo apenas lazer. As 50 atividades esportivas só serão praticadas na segunda-feira para os 55 mil alunos inscritos nos programas.

Já os que têm processos na Justiça, o atendimento no Fórum foi normalizado ontem. Para não prejudicar quem foi afetado pelo fechamento das varas e juizados, o Tribunal de Justiça suspendeu os prazos processuais na capital entre sexta e quarta-feira. No restante do estado, não entrarão na contagem do prazo a segunda e a quarta-feira.

O Departamento de Transportes Rodoviários do Estado (Detro) não cobrará diárias dos motoristas flagrados na Operação Lei Seca nos dias em que os depósitos estiveram fechados. Durante o Carnaval, o órgão recolheu a habilitação de 126.786 motoristas e rebocou 2.325 veículos.

Políticos esticam folia

No Rio e em Brasília, a política continuou em ritmo de Quarta-Feira de Cinzas ontem, no primeiro dia após o fim da folia. Na capital do país, o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) assinou requerimento estendendo a folga dos deputados até a próxima segunda-feira, evitando cortes nos salários dos faltosos.

Na Alerj, o dia também foi sem expediente. A explicação é que os servidores e deputados trabalharam sexta-feira passada, quando era ponto facultativo. Em compensação, a Casa fechou ontem, mas reabre nesta sexta-feira.

Houve quórum para realização de sessão na Câmara dos Vereadores, mas a marcha das atividades foi lenta. Por mais de uma hora, o chefe de gabinete do prefeito Eduardo Paes, Luiz Henrique David Sanson, discursou sobre os números da prefeitura em 2014, sem conquistar a atenção dos parlamentares.

Sem a presença do presidente da Casa, Jorge Felippe (PMDB), ausente para realização de exames médicos, nada foi votado. Dos discursos, só o da vereadora Teresa Bergher (PSDB), que usou a tribuna para questionar o título da Beija-Flor, conseguiu chamar atenção.

Últimas de Carnaval