Mangueira vive hoje um cenário de incertezas

Estação Primeira não vence o Carnaval há 13 anos e dívida chega a R$ 12 milhões

Por O Dia

Rio - Uma das mais populares escolas de samba do país, a Estação Primeira de Mangueira atravessa o pior momento de sua história, com um jejum de 13 anos sem título e uma dívida sem precedentes. De acordo com o presidente Francisco de Carvalho, o Chiquinho, o montante chega a R$ 12 milhões. 

Mangueira terminou o Carnaval deste ano na 10ª posição%2C à frente apenas da Vila Isabel e ViradouroAndré Mourão / Agência O Dia


“O que fazer? Largar tudo de mão e dar calote em todo mundo? Não vou fazer isso. Estou saneando a escola, reconstruindo a Estação Primeira. Fizemos um Carnaval para chegar em quinto lugar. Admito. Se eu tivesse gastado os R$ 4 milhões que pagamos de dívidas, brigaríamos pelo título. E afundaríamos ainda mais a escola”, defende Chiquinho.

Para quem estuda o Carnaval, no entanto, o buraco mangueirense é muito pior. O cenário não é mais uma beleza, como diz o hino da escola. É de incerteza mesmo.

“A Mangueira e a Portela são as principais escolas do Rio, e que não conseguem se adequar ao rumo que o Carnaval tomou. A Portela se uniu para tirar o ex-presidente Nilo Figueiredo e está tentando, ainda que de uma forma esquizofrênica, resgatar sua identidade, com a Velha Guarda, com as feijoadas. Mas a Mangueira ainda precisa se reencontrar”, explica o historiador Luiz Antônio Simas.

O principal problema da ecola é a divisão política dentro da agremiação. “ O nosso problema é a dívida mesmo”, insiste Chiquinho da Mangueira. O escritor Fábio Fabato concorda mais com Simas do que com Chiquinho. Para ele, falta especialmente união entre os mangueirenses para que a escola volte a ser a Estação Primeira do Carnaval carioca, a exemplo do que aconteceu em 1995, com o movimento Muda Mangueira.

Um grupo saiu pelo país em busca de apoio de empresas para a Verde e Rosa. Três anos depois a escola foi campeã do carnaval ao lado da Beija-Flor.

“É muito ruim para o Carnaval não ter a Mangueira fortalecida. Não acredito que ela venha a ser rebaixada, mas só de ela não brigar mais por títulos já é péssimo para a festa. Torço para que ela se reencontre o mais rapidamente possível”, disse Fábio Fabato.

Últimas de Carnaval