Passarela móvel vai substituir torre de TV na Marquês de Sapucaí

Para a Liesa, estrutura atrapalha desfiles

Por O Dia

Rio - No lugar da torre de TV do Sambódromo, que deve ser derrubada até o final do ano, a Liesa pretende colocar uma estrutura móvel, em formato de passarela, com altura de aproximadamente 11 metros. A nova armação ficará montada apenas nos dias de desfile. O pedido de retirada da torre foi feito por todas as escolas de samba do Grupo Especial e noticiado ontem, na coluna do Leo Dias.

Para o carnavalesco da Vila Isabel, Alex Souza, a retirada da torre vai garantir um espetáculo ainda maior no Carnaval: “Ficamos muito limitados com a criação dos carros alegóricos por conta da torre. Sem contar a tensão com relação aos destaques que precisam se abaixar para passar por ela.”

Águia da Portela teve que se abaixar para passar sobre a torreArquivo O Dia

Segundo o presidente da Liesa, Jorge Castanheira, a prefeitura ficará responsável por derrubar a estrutura e a Liga terá a incumbência de construir uma passarela móvel. “Queremos fazer algo com mais segurança. Será uma estrutura temporária, mais larga e com guarda-corpo. A ideia é que a entrada e saída sejam só por um lado”, contou Castanheira.

Atualmente, a altura das alegorias não pode passar dos 9,75 metros, medida da torre. Algumas escolas, como a Portela, utilizaram recursos especiais neste Carnaval, para levar esculturas à avenida, como a águia em formato de Cristo Redentor, de 18 metros de altura, que se dobrava ao meio durante a passagem pela estrutura.

No ano que vem, o Sambódromo também será palco de duas modalidades dos Jogos Olímpicos: o tiro com arco e a maratona. No entanto, no projeto de adaptação da Sapucaí para as provas consta a permanência da torre de TV.