Sambas geniais no Carnaval de 2016

Safra do próximo ano está lotando as quadras das escolas e ganhando elogios dos especialistas

Por O Dia

Rio - A queixa frequente e um tanto polêmica em relação à qualidade dos sambas de enredo atuais não vai desfilar no próximo Carnaval. As disputas nos concursos das escolas do Grupo Especial estão a todo vapor, empolgando não apenas os torcedores das agremiações como também gente que vive e estuda samba o ano inteiro.

Em muitas escolas há dúvidas sobre qual o melhor samba, de tão boa safra. A única certeza é que em 2016 vem muita coisa boa por aí. Se neste ano, de acordo com o júri do DIA, apenas a Viradouro, com a reedição de sambas de Luiz Carlos da Vila, e a campeã Beija-Flor se destacaram, no ano que vem há garantia de qualidade na maioria das escolas.

Na Mangueira, o enredo sobre Maria Bethânia inspirou a ala de compositores e há dois sambas favoritos dividindo torcida e especialistas: o da parceria de Tantinho da Mangueira e o de Lequinho, Junior Fionda & Cia.

Xande de Pilares%2C no Salgueiro%2Ctem samba-enredo muito elogiadoDivulgação / Alex Nunes

No Salgueiro, que levará a Ópera do Malandro (de Chico Buarque) para a Avenida, a parceria de Xande de Pilares fez um samba para a história: “Ê, meu camarada/ Pela madrugada, baila o mestre sala, gira o morro inteiro/ A mais bela flor é pra ser amada/ Samba de malandro é do meu Salgueiro”. Mas os versos disputam pandeiro a pandeiro para serem o hino da escola com pelo menos mais duas parcerias: as de Marcelo Motta e Fred Camacho e a de David Corrêa.

Outra escola que concorre pelo samba do ano é a Imperatriz, que contará a saga de Zezé di Camargo & Luciano. Os sambas de Elymar Santos, de um lado, e Zé Katimba, do outro, dão a certeza de que a agremiação estará muito bem representada na Avenida com qualquer um deles.

“Temos uma safra com excelentes opções na maioria das escolas. Minha única preocupação é com a Beija-Flor, que normalmente vem com sambas muitos bons e, para o ano, não me chamou muito a atenção”, analisou o historiador Luiz Antônio Simas, fascinado por sambas de enredo.

Elymar Santos%2C na Imperatriz Leopoldinense%2C também segue na disputa para representar sua agremiaçãoAg. News

A Portela, agora com Paulo Barros à frente do Carnaval, também tem grandes sambas. Supercampeões na escola, Luiz Carlos Máximo e Toninho Nascimento fizeram mais um grande samba, que enfrenta o de seu ex-parceiro Wanderley Monteiro, agora ao lado de Samir Trindade.

“Mangueira e Imperatriz prometem muito. A Portela tem obras maiúsculas. No Salgueiro a disputa está acirradíssima”, empolga-se o escritor Fabio Fabato. Quem diz que o bom samba de enredo morreu, pode correr para as quadras. O Carnaval já começou e em grande estilo.

Viradouro bota ópera na Avenida

Rebaixada para o Grupo A após desfilar sob temporal, a Viradouro vem, mais uma vez, a exemplo do Carnaval passado, com o samba do ano, segundo os especialistas.

A escola de Niterói, que levará para a Avenida a ópera ‘Alebê de Jerusalém’, de Altay Veloso, tem o samba composto por Felipe Filófoso e Paulo Cesar Feital & Cia.

Na Vila Isabel, a escola montou um timaço com Martinho da Vila, Arlindo Cruz, André Diniz e Mart’nália.

“O samba tem qualidades, mas parece inferior ao ‘Festa no Arraiá’, de 2013”, disse Luiz Antônio Simas.

“A Vila criou uma holding. O samba é bacana, mas ficou com cara de escolha resolvida, sem disputa”, disse Fabato.