Bateria da Mangueira fará três paradas durante o desfile

Em todas elas o timbau estará inserido

Por O Dia

Rio - Não é necessário ser um exímio especialista no assunto para identificar ao longe que a bateria da Mangueira se aproxima. O ritmo que consagrou a escola passa de geração para geração. E caberá a um jovem herdeiro desse ritmo peculiar a incumbência de comandar a bateria ‘Tem que respeitar meu tamborim’.

Seu nome é Rodrigo Pereira, o Rodrigo Explosão. Filho do mestre Alcir Explosão, que comandou a bateria da escola nos anos 90, e foi o mestre no desfile campeão de 1998, que homenageou Chico Buarque. A bateria da Mangueira tem no surdo sem resposta sua identidade. Mas outros instrumentos também a caracterizam, como o próprio tamborim, que batiza a bateria e o timbau, instrumento incomum no samba, mas que foi introduzido na Mangueira em 2007.

Mestre Explosão busca nota 10Divulgação

Pela impossibilidade de participação em ensaios antes do desfile de 2015, foi retirado. Mas este ano o instrumento está de volta. “A decisão de voltar com timbau foi minha e do Vitor Art (mestre em 2015). Como nosso enredo é a Maria Bethânia, que é baiana, achamos melhor adotar. O som é muito satisfatório. São músicos qualificados.

A Mangueira já definiu que vai implementar três paradinhas durante o seu desfile este ano. Em todas elas o timbau estará inserido. Depois das notas baixas de 2015, Explosão explica como está trabalhando para alcançar a nota 10. “Estamos ensaiando em cima das justificativas. O ano todo foi assim. É necessário fazer com que o conjunto sobressaia. Vamos para a Avenida com um trabalho melhor.”

Reportagem de Guilherme Ayupp, do site Carnavalesco

Últimas de Carnaval