Chiclete não engana: Jurados vão ficar atentos ao canto

Profissionais escalados para julgar o quesito Harmonia revelam como avaliam escolas

Por O Dia

Rio - No nível de competitividade dos desfiles de escolas de samba atualmente não há mais espaço para amadorismo. Os julgadores de Harmonia prometem que vão ficar de olho no desempenho não apenas do canto da agremiação, mas também dos cantores e da equipe do carro de som.

Célia Souto revela que a estratégia de algumas escolas de usar chicletes para ludibriar os jurados está ultrapassada. “O julgador tem ouvido apurado. E outra: dá para identificar o canto pela questão corporal, não é apenas a boca se mexendo. Você percebe que componente abre os braços, gira o corpo. É bem simples identificar quando alguém canta ou não”, diz Célia.

‘Não é apenas a boca se mexendo’%2C diz jurada%2C sobre artifício em cantoFernando Souza / Agência O Dia

Engenheiro naval, Humberto Fajardo diz que a posição de julgar da cabine é satisfatória para a compreensão do canto. “Muita gente diz sobre essa questão de descer, mas é totalmente possível perceber se uma escola está cantando ou não, mesmo com as caixas de som. É um trabalho que requer uma minuciosa atenção. Julgo ser o quesito mais difícil, mas dá para julgar perfeitamente”, esclarece.

O músico Clayton Fábio Oliveira revela que é impossível não escutar os sambas no CD antes do julgamento, mas explica que é o desempenho na avenida que vai dizer se o samba é nota 10 ou não. “São diversas variáveis que fazem um samba ganhar o 10. Há que conquistar as pessoas que estão a cantá-lo. É preciso que as frases melódicas estejam adequadas com a métrica do samba. O samba é uma exaltação daquele enredo”.

Para o jornalista e músico Mauro Costa Júnior, a safra para 2016 é muito boa. “Tenho escutado com frequência o CD e vejo que é a melhor dos últimos tempos. Eu gosto de ouvir bastante os sambas e acredito que seja parte de nosso trabalho. Não podemos chegar para o desfile sem nenhum contato com aquelas obras”, explica.

Reportagem de Guilherme Ayupp, do site Carnavalesco

Últimas de Carnaval