Paes afirma que cortes no orçamento não vão atingir Carnaval

Durante ensaio técnico, Salgueiro utiliza pombos na Avenida e 48 aves foram mortas. Animais foram resgatados por ONG

Por O Dia

Rio - O prefeito Eduardo Paes cumpriu o ritual anual de realizar a tradicional visita aos barracões das 12 escolas do Grupo Especial na Cidade do Samba, nesta sexta-feira. Sobre o debate que envolve a prioridade de gastos públicos em ano de crise, revelou que o Carnaval é uma prioridade no orçamento da cidade. “Precisamos considerar que devem haver cortes onde há superficialidade, o que não é o caso do Carnaval”, afirmou Paes, lembrando dos empregos gerados pela festa.

O locutor oficial do Sambódromo, Vanderlei Ramos, apresentou o enredo de cada agremiação e um carro de som tocava o samba-enredo da escola quando o prefeito entrava no barracão.

O prefeito Eduardo Paes esteve na sexta-feira visitando os barracões das 12 escolas do Grupo Especial na Cidade do SambaDivulgação

Neste final de semana, haverá mais ensaios técnicos na Avenida. Neste sábado, às 20h, e a vez da São Clemente e às 21h30, Imperatriz Leopoldinense. Neste domingo, a Beija-Flor encerra os ensaios, às 21h. A entrada é gratuita, mas os interessados devem chegar cedo para conseguir os lugares. Campeã do Carnaval 2015, a escola será a terceira a desfilar no domingo de Carnaval. O enredo é uma homenagem ao Marquês de Sapucaí.

Quem comprou ingressos por telefone para os camarotes, frisas, arquibancadas especiais e cadeiras individuais para os desfiles das escolas de samba do Grupo Especial devem trocar seus recibos e vouchers pelos cartões de localização que darão acesso às dependências do Sambódromo a partir da próxima segunda. A convocação é feita pela Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo Especial (Liesa).

Durante ensaio técnico, Salgueiro solta aves e animais morrem

Enquanto a rainha de bateria Viviane Araújo encantava o público ao atravessar a Sapucaí no último domingo — incorporada com ‘a pomba gira’, entidade da umbanda, como ela definiu —, metros atrás, dezenas de pombos brancos que deveriam ser o ‘gran finale’ do Salgueiro foram jogados de um caminhão. O resultado foram 48 aves mortas na Passarela do Samba. Símbolo da paz, mas que têm um significado especial na religião afrobrasileira, enredo da escola este ano, os pombos foram pisoteados por passistas da agremiação e a cena abalou muitas pessoas que assistiam ao ensaio.

Aves são resgatadas por ONG durante ensaio técnico do Salgueiro ONG SOS Aves e Cia.

Segundo a ONG SOS Aves e Cia, que socorreu os pombos, 68 foram resgatados, destes apenas 20 sobreviveram e cinco estão em estado crítico. “Não foi só um crime de maus tratos, foram vários”, afirma Paulo Maia, presidente da ONG. “Chorei quando vi aquilo. Não deu para salvar todos”, lamentou ele, que denunciou o Salgueiro ao Ibama. “A superintendência do órgão irá multá-los”, disse. Segundo Paulo, o caso também será levado ao Ministério Público na segunda-feira. O DIA não conseguiu contato com o Ibama.

O ambientalista acredita que a pessoa que vendeu as aves para a escola de samba também poderá responder judicialmente, pois entregou os pombos em caixas de papelão, inadequadas, na avaliação dele, para o transporte. “Não é qualquer ave que ao ser solta voará, algumas precisam passar por treinamento”, explicou.

Especialista em Direito Ambiental, Gil Souza também critica o Salgueiro e aponta pelo menos sete leis violadas, entre elas, a Lei Municipal 3402/2002, que proíbe a utilização ou exibição de animais em espetáculos. “Não podemos regredir e achar normal a utilização de animais para entreter”, aponta. Segundo Gil, o Código Estadual de Proteção aos Animais prevê que todo veículo de transporte de animais deve oferecer proteção e conforto adequados, o que não seria o caso do caminhão usado.

Pelas redes sociais, a apresentadora e defensora dos direitos dos animais Luisa Mell convocou seus 2 milhões de seguidores a acessarem a página do Salgueiro e se manifestarem. “Isso é crime ambiental! É uma vergonha nacional! Por favor amigos me ajudem a infernizar o Salgueiro para que não cometam mais uma barbaridade no Carnaval”, convidou.

O resultado da convocação de Luisa pode ser visto na página da escola: “O que era pra ser bonito, virou um show de horrores”, disse uma internauta. “Que vergonha! Usar animais indefesos para satisfazer seus egos”, desabafou outra. Em nota o Salgueiro disse que o departamento jurídico está cuidando do caso e que não usará pombos no dia do desfile.

Confira a nota oficial do Salgueiro sobre o caso

"Vimos através desta declarar nosso sincero pedido de desculpas e ressaltar que não houve intenção alguma de maltratar animais. O Salgueiro tem diversos projetos sociais e está sempre disposto a ajudar. Ressaltamos que não foi pretendida em tempo algum a participação de animais no desfile oficial."