Por paulo.gomes
Rio - Na disputa pelo título do Carnaval carioca, uma componente tem conquistado cada vez mais destaque na Passarela do Samba: a tecnologia. Consagrando a era dos carnavais ‘high tech’, escolas do primeiro dia do Grupo Especial foram além dos telões de LEDs. Levaram para a Sapucaí drones (equipamentos aéreos guiados por controle remoto) e fantasias iluminadas a distância por aparelhos bluetooth (conexão sem fio).
Na ala das baianas da União da Ilha%2C as cores mudavam à distância por bluetooth. O efeito era sincronizado com o sol de led que vinha logo à frenteEfe

Segunda agremiação a pisar na Avenida, a União da Ilha fez a ala das baianas brilhar em tons de amarelo e laranja, representando o amanhecer e o pôr do sol. Já passava da meia noite, quando um sol de LED gigante, de 15 metros de altura, alternava as cores de forma sincronizada junto com a fantasia das baianas que vinha à frente.

Terceira a desfilar, a atual campeã Beija-Flor, fez um drone ‘cair no samba’. O aparelho sobrevoou a Sapucaí, transmitindo em tempo real imagens da evolução da escola. Se houvesse algum erro, o sistema mostraria à direção aos diretores de harmonia e de evolução. “Buscamos um desfile impecável. E para isto,toda a ajuda é bem-vinda”, afirma o carnavalesco Fran Sérgio.

A tecnologia utilizada é capaz de reconhecer de onde o equipamento vem e, em caso de perda de contato ou problemas na bateria, pode voltar automaticamente para o local de partida, evitando o que aconteceu com o Salgueiro durante o ensaio técnico, quando o equipamento ficou sem bateria e caiu.
Publicidade
Já na comissão de frente da Grande Rio, quarta escola na Avenida, e que homenageou a cidade de Santos (SP), a atração foi importada da Argentina: uma imensa bola de futebol foi inflada e encobria a Fonte de Itororó, atração turística da cidade paulista. No topo, o ator Mateus Renan, que interpretou Pelé, era sustentado apenas por um cabo.
Os carros gigantes foram a grande sensação da noite. Sem a estrutura metálica que limitava a altura dos carros na saída do desfile, a criatividade pode voar alto. A Mocidade levou para a Avenida um ‘Dom Quixote’, de 18 metros de altura, no carro abre-alas.
A Unidos da Tijuca encerrou os desfiles de domingo%2C apostando em alegorias humanas em formas de bichos e folhas%2C que exaltavam a natureza e o solo sagradoSeverino Silva / Agência O Dia

Sob as bênçãos do santo padroeiro, São Jorge, a Estácio de Sá abriu os desfiles depois de oito anos longe do Grupo Especial. A escola trouxe da Capadócia, na Turquia, a história do santo guerreiro para tentar se manter no pelotão de elite. O segundo carro, um leão alado levava monitores de LED em que exibiam a imagem de um menino que se transformava em leão, símbolo da agremiação. A Unidos da Tijuca encerrou o primeiro dia, investindo nas alegorias humanas no abre-alas, onde 160 integrantes exaltaram a agricultura.

Publicidade
CONFETE
Crise nos bastidores
Quem está acostumado com as filas lotadas nos restaurantes e lanchonetes da Sapucaí se surpreendeu. O atendimento era rápido e sem atropelos, reflexo da crise que levou menos pessoas à Avenida. Nos banheiros, quase não havia filas ou eram pequenas, ao contrário de outros anos. Houve ainda uma sensível redução no número de pessoas trabalhando. Na catraca da dispersão, não havia mais ninguém no controle, já no final do desfile da Grande Rio.
Publicidade
Família desfila junto
A atriz Claudia Raia foi um dos destaques da escola em que desfila há 30 anos. Retratada como ‘a dama mais poderosa da corte’, a madrinha da Beija-Flor usava fantasia coberta de plumas azuis e milhares de cristais. “Claudia Raia não vem de qualquer jeito, amor”, disse sobre a peça, se referindo a si mesma em terceira pessoa. Os filhos também desfilaram: Enzo foi junto à diretoria, ao lado do pai, o ator Edson Celulari, enquanto Sofia era destaque do segundo carro. A atriz foi enredo da Nenê de Vila Matilde esse ano em São Paulo.
Homens invisíveis
Os corruptos da comissão de frente da Mocidade chamaram atenção pela técnica que permite a ilusão de a roupa estar sobreposta em um corpo que não se vê. A técnica consiste em criar um fundo falso onde fica o integrante da comissão. Na frente, uma armação vazia com a roupa por cima e iluminação para dar noção de profundidade, formavam o efeito de invisível.
Publicidade
Atletas no samba
Local de chegada da Maratona na Rio 2016, a Passarela do Samba recebeu um desfile de medalhistas olímpicos. O sexto carro da União da Ilha, que mostrava o monte do Olimpo como uma favela, trouxe os jogadores de vôlei Giba, Giovane e Tande, o corredor Robson Caetano e o judoca Flávio Canto, além de Luísa Borges, atleta de nado sincronizado. O desfile da escola, que teve como enredo ‘Olímpico por natureza...Todo mundo se encontra no Rio’, foi aberto pelo maratonista Vanderley Cordeiro da Silva.
Pelé ausente
A Acadêmicos do Grande Rio, cujo enredo era sobre a cidade paulista de Santos, exibiu um pouco da história do eterno rei Pelé, logo na comissão de frente. Convidado, o jogador não compareceu ao desfile, alegando problemas de saúde — na véspera, apareceu na TV abatido e usando andador. Foi representado por sósias.
Publicidade
Substituto de Neymar
Já Neymar Junior não foi liberado pelo Barcelona e acabou representado pelo seu pai no desfile da Grande Rio. Protegido por dezenas de seguranças, Neymar Santos evitou tocar na polêmica envolvendo ele e o filho, acusados pela Justiça brasileira e espanhola de sonegação de impostos e falsidade ideológica. Também negou apoio financeiro do jogador à escola de Caxias.
Secco sem assédio
Ex-rainha de bateria da Grande Rio, a atriz Deborah Secco — que perdeu os 19 quilos ganhos na gestação de Maria Flor, de dois meses — desfilou com camisa da diretoria da escola no domingo. Ao final, de mãos dadas com o marido, o modelo Hugo Moura, 11 anos mais novo, passeou próximo da arquibancacada, jogando beijos para a plateia. Nenhum paparazzi a seguiu. Hugo, de 24 anos, é candidato a uma vaga em ‘Malhação’, da TV Globo.
Publicidade
Camisa da diretoria
Também desfilou de camisa da diretoria a atriz Luísa Arraes, neta do governador Miguel Arraes, enredo do desfile da Unidos de Vila Isabel segunda-feira.