Por tiago.frederico
Rio - Os portelenses estão inconformados com a derrota no Carnaval. A escola de Madureira perdeu para a Estação Primeira de Mangueira por uma diferença de apenas um décimo e ficou atrás da Unidos da Tijuca devido ao critério de desempate da Liesa. Após a leitura das notas, na tarde desta Quarta-Feira de Cinzas, a reportagem de O DIA procurou os responsáveis pela Azul e Branca, na Marquês de Sapucaí, no entanto, Tia Surica e o vice-presidente Marcos Falcon não quiseram dar entrevistas.
Desfile do carnavalesco Paulo Barros garantiu terceiro lugar para a PortelaAlexandre Brum e João Laet / Agência O Dia

A Portela, que não vence desde 1984, esperava, com a estreia do carnavalesco Paulo Barros, quebrar o jejum de títulos. Terceira colocada do Grupo Especial, ela vai desfilar entre as seis campeãs, no próximo sábado, no Sambódromo.

MAIS:

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Na quadra da escola, foliões estão inconformados com a derrota. "Foi muita injustiça. A Portela entrou muito bonita", lamentou Luiz Carlos Silva Teixeira. Locutor da agremiação, Boca clamou por ajuda divina. ""Deus vai nos dar força e a nossa hora vai chegar. Eles vão ver e vão ter que nos engolir. Esse resultado foi uma tremenda sacanagem", disse.

Morador do bairro, Bruno Cunha comparou a derrota deste ano com a do ano passado. "O terceiro lugar tem um ar de derrotado. Ano passado tinha um ar de conquista. Nesse ano não. Sentimos que perdemos o primeiro lugar. Ainda assim isso não vai atrapalhar nossa entrada no desfiles das campeãs", acredita. Baterista da Azul e Branca, Alan Corrêa tem outra opinião: "A gente vai entrar desanimado, tínhamos certeza de que íamos ganhar. Esse resultado a gente não aceita".

Portelenses lotaram quadra da escola para ouvir leitura das notaTássia di Carvalho / Agência O Dia