Anunciada às pressas, Camila Silva está pronta para brilhar na Mocidade

Paulista da Vila Formosa vai substituir angolana à frente da Bateria Nota 10

Por O Dia

'Pesquisei sobre a dança%2C o que ajuda nos movimentos na passarela. Tem leveza%2C delicadeza. Quero fazer bem feito'%2C diz Camila SilvaMaíra Coelho / Agência O Dia

Rio - Com 1,78m de altura e pura sensualidade, a paulista de Vila Formosa, Camila Silva, 30 anos, foi anunciada às pressas para o seu segundo ano como rainha de bateria da Mocidade. Ela desfilou pela primeira vez em 2013 pela verde e branca e destronou a empresária angolana Carmen Mouro.

Nos bastidores não se confirma, mas o que se comenta é que Carmen pagou 100 mil euros para ocupar o posto de rainha este ano. Só que não teria aguentado a pressão. Foram muitas críticas por não ser brasileira e por ter sido anunciada em agosto e só aparecer ao ensaio este mês. Em nota a escola afirma que Carmen passa por problemas de saúde.

Camila é a segunda rainha-relâmpago da escola. Em 16 de fevereiro de 2014 a atriz Mariana Rios foi apresentada à comunidade às pressas destronando Ana Paula Evangelista.

A relação de Camila com o mundo do samba vem desde os seus 7 anos de idade quando, em São Paulo, foi rainha mirim, rainha juvenil, passista de ouro, musa até chegar ao posto de rainha de bateria passando por várias escolas. Ela também desfila pela Vai Vai, de São Paulo.

Estudante de teatro e dança, Camila quer seguir, também, a carreira de atriz. Par romântico de Cauã Reymond na minissérie Dois Irmãos, da TV Globo, a rainha da verde e branca já passou, inclusive pela escola de atores de Wolf Maia.

Por ser de São Paulo, Camila conta que também enfrentou um certo preconceito ao chegar na Mocidade mas com o seu carisma e sempre presente, conquistou carinho e respeito da comunidade e de todas as alas. “Aos poucos fui mostrando o respeito que tenho pelo samba. Mostrei que eu sou, por que eu estava ali, por que merecia estar ali… e hoje somos uma família”, diz.

No ano passado, o posto foi da cantora Claudia Leite, que apesar de não ter conhecido pessoalmente, Camila admira. “Fez um bom papel e não deixou nada a desejar”, pontua. Sobre Carmen, a antecessora, Camila fala pouco. “Não a conheci, mas ouvi falar que é muito simpática. Foi uma pena o problema de saúde dela. Agora é bola pra frente. A escola não pode ficar sem rainha com o Carnaval batendo à porta”, diz. Em nota, a diretoria da verde e branca agradece pela dedicação e respeito, e deseja pronto restabelecimento à Carmen.

O tema ‘As mil e uma noites de uma Mocidade pra lá de Marrakesh’ vai explorar a cultura e as lendas do Marrocos, região norte da África. Com muito dourado, camelos, mercados e castelos a escola vai ser a terceira a desfilar na Segunda-Feira de Carnaval, na Sapucaí. “O tema é rico, muito ouro e sensualidade! Pesquisei sobre a dança e isso me ajuda nos movimentos na passarela. Tem leveza, delicadeza. Quero fazer bem feito”, pontua.

Sobre os ensaios, Camila conta que participou de outras alas, o que lhe despertou mais alegrias em estar na Mocidade. “Eles me deram a oportunidade de brincar no Carnaval”.