Mulheres fazem topless em bloco não-oficial

As produtoras e amigas Maria Sayd e Daniela Lauria resolveram curtir o 'Desce Mas Não Sobe' com os seios de fora

Por O Dia

Rio - O domingo foi de folia para cariocas e turistas que aproveitaram os blocos de rua pela cidade. Vários bairros já comemoram o pré-Carnaval com opções variadas. Em Santa Teresa, o bloco secreto e não-oficial Desce Mas Não Sobe reuniu um público apaixonado pelo Carnaval, mas que preserva uma folia mais intimista. As produtoras e amigas Maria Sayd, de 26 anos, e Daniela Lauria, 25, resolveram curtir a folia com os seios de fora. A bandeira era o “empoderamento feminino”.

Em Santa Teresa%2C amigas tiram os sutiãs em nome do ‘empoderamento feminino’Maíra Coelho / Agência O Dia

Maria diz que as mulheres cobrem os seios por uma imposição da sociedade. “É determinado que as mulheres têm que usar sempre a parte de cima, mas hoje senti vontade de tirar o top que estava usando, porque vi que o ambiente era propício. Mas realmente existem muitos blocos em que não faria isso, pois são ambientes hostis”. Daniela também aderiu ao movimento da amiga. “A gente viu outras meninas fazendo e achou que seria tranquilo. Estou achando muito confortável, mas é claro que não me sinto assim em todos os lugares”, ressalvava a produtora.

Em Laranjeiras, o Volta Alice recebeu foliões de todas as idades pela manhã. Os foliões brincavam em meio ao banho de água que levavam dos moradores, que jogavam baldes das sacadas das casas. A organizadora Michele Bueno, contou que este ano o bloco decidiu por um tema que exaltasse a ‘explosão de amor’. “Diante de tudo que estamos vivendo no Rio, decidimos espalhar amor por aí. Distribuímos rosas pelo percurso e nosso mestre-sala veio caracterizado de Profeta Gentileza. Queremos que o bloco seja um ato de amor à cidade”.

Volta Alice arrastou multidão espalhando amor e gentilezaMaíra Coelho / Agência O Dia

No Jardim Botânico, o Me Esquece arrastou um público estimado em 15 mil pessoas. A folia começou às 8h, na esquina das ruas Jardim Botânico e Pacheco Leão. Em São Conrado, o badalado Chame Gente atraiu os foliões para a Avenida Prefeito Mendes de Moraes com uma mistura do samba carioca e axé baiano. Em Copacabana, integrantes do bloco Alegria sem Ressaca, que faz prevenção ao abuso de álcool e ao uso de drogas, se misturaram aos cadeirantes que divulgavam a importância da Operação Lei Seca.

Na Zona Norte, moradores resgataram o tradicional carnaval dos bairros com os blocos Bigodinho Esticado, no Méier, e Se Cair eu Como, que saiu da Praça da Freguesia, na Ilha. O Boi da Vila da Penha atraiu foliões na Rua Ápia.

Com o Sambódromo lotado%2C Bianca Monteiro sacudiu a Sapucaí à frente da bateria da Portela%2C que busca mais uma vez quebrar ‘jejum’ de títulos desde 1984%2C com Paulo BarrosSandro Vox / Agência O Dia

À noite, a Portela deu o tom da festa no ensaio técnico na Sapucaí. E levantou as arquibancadas com o enredo ‘Foi um rio que passou em minha vida e meu coração se deixou levar’. Em seguida, foi a vez da Unidos da Tijuca.

Reportagem da estagiária Marina Cardoso