Homenagens e bons sambas dão início à festa na Sapucaí

Zezé Motta, Beth Carvalho e Gonzaguinha são enredos de desfiles na Serie A

Por O Dia

Rio - A maior festa popular do planeta tem início às 22h com a primeira noite de desfiles das escolas de samba da Série A, cujo campeão garante o acesso ao Grupo Especial em 2018. Sete das 14 escolas passarão pela Marquês de Sapucaí, com sambas e enredos que têm tudo para agradar ao público.

Para o historiador Luiz Antônio Simas, a Viradouro deve ser a grande atração da noite de hoje, ao lado da Estácio de Sá. Campeãs do desfile principal no fim do século passado, em 1997 e 1992, respectivamente, ambas são favoritas para voltar à elite, ao lado de Império Serrano e Unidos de Padre Miguel, que passarão amanhã pela Sapucaí

Viradouro%2C terceira a desfilar hoje%2C traz um enredo infantil ‘E todo menino é um Rei’. A escola de Niterói terá ainda o retorno de Dominguinhos do Estácio como intérpreteDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

A Vermelho e Branco de Niterói, terceira a desfilar, traz um enredo infantil “E todo menino é um Rei”, além do retorno de Dominguinhos do Estácio ao carro de som, ao lado de Zé Paulo Sierra, o Canário de Ouro.

A escola da Praça 11, por sua vez, homenageará Gonzaguinha, criado no Morro de São Carlos, e vem com um samba assinado por seu filho Daniel Gonzaga. Será a sexta escola a desfilar.

“A Viradouro fez um grande ensaio técnico. Sem dúvida é favorita ao título deste ano”, avalia o historiador e estudioso do Carnaval, Luiz Antônio Simas.

O comentarista de Carnaval Fabio Fabato destaca, ainda, o samba da Acadêmicos do Sossego, que abre os desfiles de hoje homenageando a atriz e cantora Zezé Motta, além do desfile da Alegria da Zona Sul, segunda a desfilar, e que homenageará a madrinha do samba, Beth Carvalho.

“Os desfiles da Série A serão marcados por sambas muito bons, sobretudo os que trazem homenagens, a grande tônica dos enredos deste ano. Na noite de hoje, a melhor obra é da Sossego, seguida pela Viradouro. O nível está alto”, destaca.

“Beth Carvalho é certeza de emoção na primeira noite na Sapucaí”, completa Luiz Antônio Simas.

Além de Sossego, Alegria da Zona Sul, Viradouro e Estácio, Império da Tijuca, União do Parque Curicica e Acadêmicos de Santa Cruz completam os desfiles.

Embaixadores da Folia mantêm viva tradição da festa

Um dos blocos mais tradicionais da cidade, o Embaixadores da Folia, do impagável folião Claudio Cruz, faz hoje à tarde, no Centro, o primeiro dos seus quatro desfiles nestes dias de folia, sempre com o compromisso de manter a tradição dos sambas de enredo, marchinhas e ranchos.

“Somos a resistência. Não abro mão de fazer o Carnaval que aprendi com meu pai e meu avô. Não critico bloco temático, critico se nos deixarem fora da festa. Nós, os donos da festa. Turista não vem ao Rio para ouvir Raul Seixas ou Beatles, mas samba e Chiquinha Gonzaga. É isso o que o Embaixadores faz”, explica Cláudio Cruz.

O Embaixadores se concentra hoje, a partir das 17h, no Buraco do Lume, no Centro. Na terça, o desfile é na Avenida Chile, junto aos demais blocos de embalo. Quarta, na Avenida Gomes Freire, no Centro, em frente ao Vaca Atolada, boteco de Claudio Cruz, onde os foliões assistem à apuração dos desfiles. A saideira é no sábado seguinte ao Carnaval, novamente no Vaca Atolada.

“Mas coloca na matéria que a concentração é alcoólica. Ninguém fica lá ouvindo mantra. É bloco de cachaceiro e a gente fica é enchendo a cara mesmo”, brinca o comandante da folia.

Em Copacabana, em frente ao tradicional Bip Bip, reduto do samba carioca, a noite também será dedicada aos sambas de enredo e marchinhas com uma grande roda a partir das 20h, como ocorre em toda sexta-feira de Carnaval.

Os foliões, a partir de 0h01 (meia-noite e um minuto), seguem num desfile em volta do quarteirão que toma conta da Rua Almirante Gonçalves, adentra pela Avenida Atlântica, Sá Ferreira e Nossa Senhora de Copacabana.