Alegoria bate, faz vítimas e quebra ritmo de belo desfile do Tuiuti

Quarto carro da escola de São Cristóvão imprensou vítimas na grade próximo ao setor 1; Tuiuti mostrou ótimo acabamento nas fantasias

Por O Dia

Rio - O retorno do Paraíso do Tuiuti ao Grupo Especial depois de dezessete anos acabou não terminando da forma que todos esperavam e desejavam. A escola, que fez um desfile leve, com belas alegorias e que estava empolgando a Sapucaí, acabou tendo o desfile marcado por um acidente envolvendo uma das alegorias da escola no Setor 1. Oito pessoas acabaram se ferindo, ao serem imprensadas na grade. Além das pessoas, que se feriram no acidente, a escola acabou sendo prejudicada nos quesitos de evolução e na harmonia.

A escola de São Cristóvão fez uma bela homenagem dos 50 anos do Movimento Tropicalista. Como acontece com toda agremiação que vence a Série A, o Tuiuti teve a difícil missão de abrir os desfiles do Especial. Apesar da chuva que caia sobre a Avenida, o Tuiuti mostrou muita beleza em suas fantasias e alegorias bem acabadas, principalmente os três primeiros carros.  O samba cantado pelo intérprete Wantuir também empolgou a Sapucaí, bem conduzido pela bateria comandada pelo mestre Ricardinho.

Ritmo de belo desfile do Tuiuti foi quebrado por acidente que deixou oito feridosMárcio Mercante / Agência O Dia

Com um espetáculo colorido, o Tuitui começou o seu desfile já mostrando o que veio. A Comissão de Frente com integrantes representando indígenas, que utilizavam réplicas de vestimentas no momento da chegada de Pedro Álvares Cabral ao Brasil, realizou  movimento teatrais bastante originais.  

Feridos foram socorridos pelos BombeirosGabriela Mattos / Agência O DIA

O abre-alas da escola, que representava a fauna brasileira, mostrou um grande acabamento e se destacou pela combinação de cores. Assim como a segunda e terceira alegoria que também se destacaram pela beleza e pelo tamanho. As alegorias que se seguiram, não mantiveram a grandiosidade, mas mostraram o bom gosto do carnavalesco Jack Vasconcelos, que acertou a mão na escola.

O desfile vinha se desenrolando com muita beleza até que a quarta alegoria da escola, que representava Carmem Miranda, teve problemas na entrada no setor 1 e acabou perdendo o controle e expremendo oito pessoas na grade. Além dos ferimentos graves, a escola acabou abrindo um buraco grande e teve a sua evolução e sua harmonia prejudicada.