Confira os principais destaques das 12 escolas de samba do Grupo Especial

Agremiações desfilam neste sábado e domingo na Marquês de Sapucaí

Por O Dia

Rio - A Marquês de Sapucaí será invadida por uma onde de alegria. As doze escolas do Grupo Especial desfilam neste domingo e na segunda-feira. O DIA preparou um resumo do que cada agremiação levará para a avenida.

DOMINGO

PARAÍSO DO TUIUTI

Enredo:‘CARNAVALEIDOSCÓPIO TROPIFÁGICO’

A nova escola do Grupo Especial abre os desfiles do Rio com uma homenagem ao movimento tropicalista. O carnavalesco Jack Vasconcelos dará destaque a ícones da Tropicália, como Caetano e Gil, e a influência dos Black Power, dos Panteras Negras e até mesmo dos Beatles. A cidade de São Paulo não ficará de fora. O fim do desfile terá muitas referências ao Velho Guerreiro Chacrinha, Fernando Pinto e Carmem Miranda.

Paraíso do Tuiuti foi campeã da Série A em 2016 e retorna ao Grupo EspecialHumberto Ohana/Parceiro/Agência O Dia

GRANDE RIO

Enredo: ‘IVETE DE RIO AO RIO’

A Tricolor de Duque de Caxias quer levantar a poeira na Sapucaí com a homenagem à musa do axé Ivete Sangalo, desde a infância da cantora às margens do Rio São Francisco, passando pela inesquecível fase da cantora à frente da Banda Eva e chegada ao Rio de Janeiro. A escola pretende transformar o Sambódromo num grande trio elétrico, marca registrada do Carnaval de Salvador, um dos mais famosos do país. 

Ivete Sangalo brilhou no ensaio técnico e fará maratona para sair de Salvador e desfilar na Grande RioDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

IMPERATRIZ

Enredo:‘XINGU, O CLAMOR QUE VEM DA FLORESTA’

A escola de Ramos vai homenagear os primeiros habitantes do Brasil, os índios, com um enredo que causou polêmica ao denunciar a exploração das terras indígenas por barões do agronegócio. A Imperatriz também vai lembrar a trajetória dos irmãos Villas-Bôas, que estudaram e escreveram sobre os indígenas brasileiros e deixaram como legado a criação do Xingu. O cacique Raoni terá lugar de destaque no desfile.

Cahê Rodrigues promete um carnaval crítico com a ImperatrizDivulgação


VILA ISABEL

Enredo: ‘O SOM DA COR’

A Vila Isabel vai cantar a influência do negro na música no continente americano e quer fazer uma nova Kizomba na Sapucaí. Ritmos como salsa, merengue e rumba serão lembrados, assim com o reggae jamaicano, a cúmbia colombiana, o candombe uruguaio e a milonga argentina. A influência negra nos EUA, em ritmos como rock, jazz, blues, disco music, rap, hip-hop, soul, no funk e no gospel também se fará presente. 

Igor Sorriso será o intérprete da Vila Isabel em 2017Rafael Arantes

SALGUEIRO

Enredo: ‘A DIVINA COMÉDIA DO CARNAVAL’

A Vermelho e Branco da Tijuca fará uma viagem por antigos carnavais, através do poema 'A divina comédia’, de Dante Alighieri. Os carnavalescos Márcia e Renato Lage também farão uma homenagem a três grandes carnavalescos que fizeram história na agremiação: Fernando Pamplona, Arlindo Rodrigues e Joãosinho Trinta. Um trio que ajudou a mudar, também, a história do Carnaval brasileiro.

Sempre ela: Viviane Araújo virá inspirando a bateria Furiosa do SalgueiroAlexandre Brum / Agência O Dia

BEIJA-FLOR

Enredo: ‘A VIRGEM DOS LÁBIOS DE MEL- IRACEMA’

Maior campeã da Marquês de Sapucaí, a escola de Nilópolis, sob o comando do diretor de Carnaval Laíla, foi apontada pelo júri de O DIA como uma das favoritas ao título, junto com a Mangueira. O samba, eleito o melhor do Carnaval pelos nossos jurados, e repleto de expressões indígenas, também vem da Baixada Fluminense, numa homenagem à Iracema, a ‘Virgem dos lábios de mel’, romance de José de Alencar.

Com 15 anos no posto, Raíssa Oliveira é uma das atrações da Beija-FlorAg. News


SEGUNDA-FEIRA

UNIÃO DA ILHA

Enredo: ‘NZARA NDEMBU-GLÓRIA AO SENHOR TEMPO’

A cultura dos bantos da nação de Angola com suas tradições, lendas, mitos, deuses e sua fé é a aposta da escola da Ilha do Governador, pelas mãos do talentoso carnavalesco Severo Luzardo, que mostrará pela primeira vez na Sapucaí este lado da cultura banto. E Ilha aproveita o enredo para, através das lendas africanas, mostrar um caminho para as futuras gerações, de amor ao próximo e à natureza. 

Comissão de Frente da União da Ilha foi destaque ano passadoEfe

SÃO CLEMENTE

Enredo: ‘ONISUÁQUIMALIPANSE’

Craque do Carnaval carioca, a carnavalesca Rosa Magalhães leva a irreverência, a sátira e a ironia para a Avenida, retratando a França de Luis XIV, o Rei Sol. As semelhanças com o momento político brasileiro estarão por todos os lados. O samba de enredo, assinado por dois supercampeões na Portela, Luiz Carlos Máximo e Toninho Nascimento, traz o bom humor que sempre marcou os desfiles da escola de Botafogo. 

A craque do carnaval carioca Rosa Magalhães é a responsável pelo enredo da São ClementeDiego Mendes / Divulgação

MOCIDADE

Enredo: ‘AS MIL E UMA NOITES DE UMA MOCIDADE PRA LÁ DE MARRAKESH’

Uma viagem carnavalesca, saindo em caravana, em camelos e tapetes mágicos de Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio rumo ao Marrocos é a proposta dos carnavalescos Alexandre Louzada e Edson Pereira. Não faltarão referências a personagens míticos com o Sherazade, Sinbad, Ali Babá e Aladim. O samba, da parceria de Altay Veloso e Paulo César Feital, merece destaque. É um dos melhores do ano.

Compositores do samba da Mocidade, um dos preferidos deste anoDivulgação

UNIDOS DA TIJUCA

Enredo:‘MÚSICA NA ALMA, INSPIRAÇÃO DE UMA NAÇÃO’ 

A escola das comunidades Casa Branca e Borel fará um duelo particular com a vizinha Vila Isabel ao celebrar os ritmos musicais, através de um fictício diálogo de um encontro real entre o americanoLouis Armstrong e o gênio brasileiro Pixinguinha na década de 50. Pela Sapucaí vão desfilar ritmos como jazz, blues, country, rock e soul, além ritmos mais atuais, como funk, rap, hip-hop, dance music, e até o pop de divas como Beyoncé. 

Juliana Alves será novamente a rainha de bateria da Unidos da Tijuca, que vem falando de músicaAg. News

PORTELA

Enredo: ‘QUEM NUNCA SENTIU O CORPO ARREPIAR AO VER ESSE RIO PASSAR…’

Estrela recente do Carnaval, Paulo Barros ficou fora dos holofotes nos últimos meses, calçando as sandálias da humildade para levar a Águia ao tão esperado título. O enredo é uma homenagem aos mananciais de água doce. As referências ao mestre Paulinho da Viola, autor de ‘Foi um rio que passou em minha vida’ serão alguns dos pontos altos do desfile. 

Sob o comando de Paulo Barros, Portela vai para a avenida tentando superar a morte do presidenteJRicardo /Divulgação

MANGUEIRA

Enredo: ‘SÓ COM A AJUDA DO SANTO’

Destaque do ano passado, o carnavalesco Leandro Vieira aproveitou parte do enredo campeão, em homenagem à Maria Bethânia, para fazer um novo desfile que tem a cara da escola, dialogando com a arquibancada ao abordar o universo religioso brasileiro, das mais diversas correntes, sincretizando o catolicismo com as religiões de matriz africana. O samba, da parceria de Lequinho, deve levantar a Sapucaí.

Prodígio no carnaval, Leandro Vieira tenta o bi com a Mangueira em seu segundo desfile no EspecialMaíra Coelho / Agência O Dia