Por daniela.lima
'A sensualidade já foi um problema para mim'%2C revela Cleo PiresDivulgação

Rio - Cleo Pires não tem economizado nas cenas quentes e dramáticas da bipolar Kátia, na série ‘O Caçador’, da Globo. Seduzir dentro e fora de cena é a especialidade da atriz, mas, acredite, nem sempre foi assim. “Sensualidade já foi um problema para mim, quando eu era mais nova e não tinha muito domínio. Acho que, cada vez mais, talvez por conta da maturidade, sei usar meus ‘dados’ a meu favor”, assegura a atriz.

Comparada a Sonia Braga, que seduziu o Brasil na novela ‘Gabriela’ (1975), Cleo ameniza o fato de hoje haver mais pudor nas cenas de sexo e nudez do que nos anos 70: “A entrega ao personagem não tem a ver diretamente com cenas de sexo. É claro que temos nossos pudores e timidez, o que é normal, e acho ótimo. Não sei dizer se há mais pudor hoje. Talvez mais cuidado.”

O ato de levar para a cama os irmãos Alexandre (Alejandro Claveaux) e André (Cauã Reymond) é algo justificável, para ela: “A Kátia ama os dois com a mesma intensidade. O Alexandre é a realidade que sempre apresenta dificuldades, como qualquer realidade que se escolhe viver, e o André é a fantasia, o refúgio onde tudo pode ser perfeito.”

Cleo admite que não é fácil para o namorado, Rômulo Neto, assistir a esse triângulo amoroso. “O ciúme não fala mais alto do que a alegria e o entusiasmo que ele despeja em mim e em todos os meus projetos. A gente encara o ciúme como um sentimento natural, humano, que acontece, é resolvido e bola pra frente. Não existe todo esse sensacionalismo que tentam fazer.”

Para dar conta de suas inquietações, ela voltou para a terapia, e a relação com o pai, Fábio Jr., até melhorou. Ele, que está no ar no programa ‘SuperStar’, quer que a filha cante. “Cleo é a minha próxima tentativa de resgate. Já rolou com o Filipe (Fiuk) e a Tainá (Galvão), mas ela é mais tímida, tem que pegá-la de jeito, porque é muito boa cantora, superafinada desde pequenininha”, diz, orgulhoso. Ela também confessa que sua veia musical pulsa: “A música é algo forte pra mim. Sempre quis fazer parte e desenvolver isso. Gosto de cantar e escrevo, mas não sei compor. Não sei o que vai ser disso. Vamos ver...”.

Você pode gostar