'Não sou a favor da legalização das drogas', diz Thiago Martins

Ator interpreta um policial da Core no filme 'B.O. Boletim de Ocorrência'

Por O Dia

Thiago Martins não é a favor da liberação das drogasDivulgação

Rio - Thiago Martins é movido a fortes emoções na vida real e na ficção. O ator, que cresceu no Vidigal aprendendo a desconfiar da polícia, agora teve que rever os conceitos na preparação para viver o policial da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais) Roni no filme ‘B.O. Boletim de Ocorrência’, de Tomás Portella. Para o longa, ele aprendeu a atirar com fuzil AR-15, M16 e de pistola.

O ator passou duas semanas na Acadepol (Academia Estadual de Polícia Silvio Terra), onde teve aulas de tiro e de defesa pessoal. “Sempre fiz o bandido ou uma vítima do tráfico. Dessa vez, aprendi a atirar como um profissional. Como todo morador de comunidade, a gente aprende a ver o policial de forma negativa. No meu caso, até pelo fato de meu irmão ter sido baleado num tiroteio, vivi os dois lados e isso foi importante para a minha segurança, saber até onde eu podia ir. Foi uma criação difícil, mas honesta e de muito aprendizado. Esse filme foi importante porque eu tive contato com policiais honestos, que levam a profissão a sério, isso me instigou, me fez enxergá-los de outra forma”, admite ele.

Thiago filmou praticamente no quintal de casa: “Rodamos uma cena num campinho de futebol onde eu jogava bola, no Vidigal. Foi ótimo, todos os meus amigos apareceram.”

Acostumado com as mazelas que os moradores enfrentam com a guerra do tráfico, o ator não é a favor da legalização das drogas: “Nosso país não está preparado. Há muita corrupção. Antes de pensarmos em legalizar, temos que pensar na falta de saúde, educação, cultura... Temos que evoluir muito ainda e, quando isso acontecer, acho que tem que ter lugar certo para comprar e para usar. Não pode ser no meio da rua, em restaurantes, locais públicos... Eu não sou a favor.”

Do cinema para a TV, Thiago também está às voltas com a novela de Gilberto Braga para 2015, ‘Babilônia’, em que vai interpretar um acrobata; antes, será o nordestino Evaldo, um homem traído pelo irmão (Chay Suede) e a mulher (Vanessa Giácomo) na próxima trama das 21h, ‘Império’, de Aguinaldo Silva.

“Ele é muito diferente de mim, não demonstra sentimentos, é um cara rude, meio ogro, e acaba traído pela mulher e o irmão. Ela fica grávida e não sabe quem é o pai. Quando ele descobre que vai ter um filho, sai para comemorar e morre. É uma participação breve, mas bem forte.” Thiago não sabe se perdoaria uma traição: “Nunca passei por isso, não sei o que eu faria. Depende da situação. Acredito é na lealdade. A palavra vale mais do que um contrato. Mas espero nunca passar por isso e, se passar, vai ser mais um aprendizado.”

Últimas de Celebridades