Carlinhos Brown lança disco de olho no lance da Copa

'Vibraasil — Beats celebration' exalta o Brasil, o futebol, a Seleção e o povo brasileiro

Por O Dia

Rio - Menos de seis meses após editar ‘Marabô’, CD de ‘axé music’, o ativo Carlinhos Brown entra novamente em campo e lança disco de olho no lance da Copa do Mundo. Já à venda no iTunes, ‘Vibraasil — Beats celebration’ exalta o Brasil, o futebol, a Seleção e o povo brasileiro. O álbum é carnavalizante, tem bastante percussão e cumpre bem sua função de animar a torcida e festejar as vitórias da seleção brasileira com vibrações positivas. Faixas como ‘Brasil (olê, olá)’, aliás, embutem sons que evocam a empolgação de uma torcida em campo.

Carlinhos Brown lança ‘Vibraaasil — Beats celebrations’%2C disco que exalta a Seleção e o povo brasileiroDivulgação

Menos centrado na ‘axé music’ do que ‘Marabô’, o CD ‘Vibraasil’ é mais cosmopolita, caindo no bate-estaca eletrônico (em ‘I’m fine team goal’), no funk (‘Nota de dólar’) e no suingue latino, mote do samba ‘Vibraaasil (Seleção 100)’. O álbum mira o Brasil, mas também se dirige às torcidas e delegações estrangeiras que estão no país por conta da Copa. O axé ‘Pode ficar à vontade’ dá as boas-vindas do Brasil ao povo de fora.

O disco é aberto com reggae, ‘Campeões do amor’, que celebra o espírito de superação e alegria do brasileiro. “A gente faz a vida virar show”, canta Brown no tema. Uma das músicas mais empolgantes do disco, ‘Faz um’ é ideal para fazer a vida virar show e animar a festa com seu baticum vibrante. Já vale o álbum, encerrado com a vinheta instrumental ‘Sacode a caxirola’, cujo título cita o controvertido instrumento criado por Brown.

“Sou futeboleiro sul-americano / Quando a bola passa, o povo fica insano”, reconhece Brown na letra de “Que orgulho”, faixa à moda da Timbalada que também se destaca no CD ‘Vibraaasil’. Em sintonia com o bem-estar coletivo, o funk ‘Tô mimi’ (batizado com corruptela de ‘Tô me mijando’) prega a utilização do banheiro químico. Já ‘Meninas, chocalho’ dialoga com a levada e o refrão de ‘Morena de Angola’ (1980), afro-samba composto por Chico Buarque para Clara Nunes (1942- 1983). O campo de Brown é bem amplo.

Últimas de Celebridades