Por paulo.lima

EUA - O cantor Caetano Veloso, que está realizando uma turnê pelos Estados Unidos, fez um show carregado de rock, na noite de ontem, em Oakland, na Califórnia, e apostou mais em sua produção recente do que em antigos sucessos. Como havia antecipado antes da viagem, o artista de 72 anos interpretou canções de seu último álbum, "Abraçaço".

O tour de Caetano pelos EUA começou em Miami e inclui paradas em Seattle, Davis e Los Angeles, terminando em Nova York. Alguns dos fãs que foram ao show estranharam a falta dos clássicos do cantor. "Tenho sentimentos misturados sobre o concerto. Senti saudades do Caetano mais íntimo", disse o jornalista Jonathan Curiel.

O repertório de Caetano Veloso foi inspirado em seu último álbum 'Abraçaço'Divulgação

Tracy Welsh, um professor de Berkeley, elogiou o caráter "profundamente artístico" do show e a coragem de Caetano em passar sua própria emoção, e não o que o público poderia esperar dele. Welsh gostou particularmente da canção "Um comunista", que fala sobre a figura do guerrilheiro Carlos Marighela, morto durante a ditadura.

"Gostei dele interpretar esta canção, que faz uma homenagem ao tropicalismo e lembra anos difíceis no Brasil", explicou. A linguista Denise Díaz disse que Caetano "sempre oferece algo diferente" e lembrou que o rock influenciou o início da carreira do cantor, nos anos 60. O jornal "The Wall Street Journal" lembrou em um artigo publicado, nesta semana, que vários críticos consideram o último álbum de Caetano uma adaptação de sua origem psicodélica e tropicalista aos tempos modernos.

Marcelo Oliveira, um professor de português que cresceu escutando as canções do artista, afirmou que o show foi "extraordinário, fantástico, inovador e inquietante". "Ele gosta de levar as coisas ao limite e o admiro porque conseguiu manter sua relevância todos estes anos", comentou. Caetano também encontrou espaço durante a noite para a sensualidade, e quando interpretou a canção "De noite na cama" desabotoou a camisa no palco, para delírio das fãs.

Você pode gostar