Nego do Borel prepara turnê internacional e diz que funk ostentação já era

Funkeiro também vai lançar novo disco; Cachê por apresentação é de R$ 30 mil

Por O Dia

Nego do Borel%3A 'Quando saio do Rio%2C já tem fã-clube me esperando. Tenho que tomar cuidado%2C estou com um poder que eu mesmo não percebo%2C cara'Divulgação

Rio - Estados Unidos, Angola e Rússia que se preparem: Nego do Borel, 23 anos, estouradaço com ‘Não Me Deixe Sozinho’ (tema de Uodson, personagem de Lucas Lucco em ‘Malhação — Seu Lugar No Mundo’), está agendando shows nesses países para 2016. Amanhã, ele se desdobra em dois para cantar na Fundição Progresso (na festa ‘Quebrando a Cena’ — veja amanhã no ‘Guia Show & Lazer’ como ganhar convites) e no pagode da piscina do Bangu Atlético Clube. Normal para o funkeiro, que tem feito até dez shows na semana (cada um por um cachê de R$ 30 mil) na divulgação do EP digital ‘EP do Nego’.

A correria é enorme mesmo. Não dá tempo nem de curtir a nova BMW (pela qual teria pago R$ 300 mil), a mansão em Curicica e a namorada Crislaine Gonçalves, com quem contabiliza um ano de namoro. “Está tudo bem diferente do ano passado. Quando saio do Rio, já tem fã-clube me esperando. Tenho que tomar cuidado com as coisas que faço, estou com um poder que eu mesmo não percebo, cara”, jura Nego.

Mesmo com o sucesso, ele diz que esse papo de “funk ostentação” já acabou. “Isso foi no começo. Hoje meu som é mais na tranquilidade, é um funk mais pop, para adolescentes, crianças, adultos e idosos ouvirem. A Ludmilla também está nessa pegada”, diz. Fato: as letras no disco novo ficam entre o romantismo de ‘Não Me Deixe Sozinho’ e a malícia de ‘Janela Aberta’. Ostentação só na hora de usar muitas correntes de ouro no palco. Ou de convidar os amigos do Borel para conhecer sua mansão.

“Antes eu improvisava com corrente de carro no pescoço. Hoje posso ter uma correntinha que vale mais e tirar minha onda”, conta. “E meus amigos antigos estão debaixo da minha asa. Hoje mesmo estão aqui comendo, pulando na piscina... Meus parceiros me emprestavam roupa quando eu não tinha, fecham comigo até hoje.”

Nego no Borel com as crianças da favela%2C num festival de pipasReprodução Internet

Os tais fã-clubes vêm crescendo e arrebanham novinhas. “Quando eu chego nos shows tem fã desmaiando. Fã que quando me vê fica tremendo, dá uma travada, não quer me soltar de jeito nenhum...”, diz. O assédio é grande, mas Nego (cujo nome verdadeiro é Leno Maycon Viana Gomes) diz que está tranquilo com a namorada. “Agora está tudo mudado, né? Antes era mesmo mulher pra c... Falo de sexo nas letras, mas é meu personagem, não sou o que a música fala. Mas tem que dançar conforme a música, né? Minha namorada leva na boa, ela sabe que é para o nosso bem”, jura o funkeiro que, de personagem em personagem, inspirou o mulherengo MC Merlô, que Juliano Cazarré interpreta na próxima novela das 21h, ‘A Regra do Jogo’.

Em outubro, a Sony lança o novo CD de Nego. “Meu namoro com a gravadora já é antigo. Nós resolvemos desenrolar e fechamos para lançar o digital”, conta ele, escrevendo uma música que deve se chamar ‘Bombeiro Encanador’. Vem mais saliência aí. “Estamos decidindo o título ainda. Na letra, falo de uma menina que está com calor, pegando fogo, e digo para ela: ‘Seu bombeiro chegou!’”.

Sucesso%3A Nego e seu enorme público num show no Barra MusicReprodução Internet

Nego teve infância pobre e não abandona sua comunidade. “Vejo sempre crianças sem nada para fazer lá, quero que elas mudem de vida”, conta o funkeiro, que já se desculpou por pular na plateia durante um show, para reagir a insultos racistas. “Não foi a primeira vez que ouvi isso, né? Só que sou humano”, diz.


Veja amanhã no 'Guia e lazer' como ganhar ingressos para assistir Nego do Borel na Fundição 

Últimas de Celebridades