Policial em filme, Cleo Pires admite fetiche por homens fardados

Atriz assume que tem personalidade forte assim como sua personagem em 'Operações Especiais'

Por O Dia

Rio - Não se engane com o sorriso encantador, o olhar penetrante e a sensualidade de Francis, personagem de Cleo Pires no filme ‘Operações Especiais’. Quando a moça pega numa arma e decide fazer justiça, ninguém a segura. “Durante a preparação, tivemos duas semanas intensas na Acadepol (Academia Estadual de Polícia Sylvio Terra). Eu já tinha atirado antes, mas nunca tinha feito aula de tiro. Também nunca tinha feito aula de progressão, invasão, de montar e desmontar uma arma e foi tudo uma delícia. Se dependesse de mim, eu ia pra lá atirar todos os dias”, brinca Cleo, que é colecionadora de armas brancas.

No longa nacional, que estreia amanhã em todo Brasil, e tem direção e roteiro de Tomás Portella, Francis é uma recepcionista de hotel de luxo que presta concurso para a Polícia Civil. Ao ser aprovada, ela faz o curso de habilitação, demonstra talento e logo é enviada para uma missão em uma cidade do interior do Rio. Mas, na prática, ela rapidamente descobre que tão difícil quanto lidar com criminosos e a pressão de cada operação é enfrentar as desconfianças e o machismo de seus colegas de trabalho.

Fabricio Boliveira%2C Cleo Pires e Thiago Martins%2C atores que vivem os policiais Décio%2C Francis e Roni no longaDivulgação / Dan Behr

“Durante a preparação, eu conheci muitas mulheres que trabalham na polícia. Algumas contaram que foram vítimas desse tipo de machismo. Outras disseram que nunca passaram por isso. Eu acho que há muito tempo a gente vem ganhando espaço. Mas é um processo e ainda falta muito. De certa forma, o Brasil ainda é um país machista, mas o mundo como um todo está mudando e fico muito feliz com isso.”

Conhecida por sua personalidade forte, Cleo diz que se estivesse no lugar de sua personagem enfrentaria tudo e todos para conquistar seus objetivos. “Eu me considero uma mulher de atitude. É difícil dizer se suportaria o que a Francis passa porque só vivendo para saber, mas a princípio acho que sim. Penso que se fosse para conquistar algo que eu quisesse muito, eu ia seguir naquela ideia. Até porque, quando eu decido fazer algo, costumo persistir até chegar aonde eu quero.”

Para Cleo, que já era uma admiradora do trabalho da polícia — “acho muito linda essa profissão, são pessoas muito corajosas, que arriscam a própria vida para proteger uma sociedade”—, essa visão só se ampliou. “Tive acesso a muitas pessoas que acreditam na profissão, na honestidade. Que vivem pela justiça e estão realmente envolvidas nesse objetivo de melhorar a situação em que estamos. Foi bonito conhecer profissionais que trabalham duro para que essa seja a realidade da instituição.”

E será que o assédio que a atriz já sofre vai aumentar, depois de aparecer uniformizada nas telonas? “Eu confesso que eu acho sexy ver um homem de farda. Não sei porque, mas acho que as mulheres, no geral, têm um fetiche com isso”, diz ela.

Namorando o ator Rômulo Arantes Neto há dois nos, Cleo conta que o amado é só elogios ao seu novo trabalho. “Ele amou. O Rômulo adora filmes de ação também e ficou muito orgulhoso do meu desempenho físico.”

Longe das telinhas desde a série ‘O Caçador’, exibida em 2014, Cleo se prepara para voltar à TV. “Estou gravando uma série na Globo chamada ‘SuperMax’. O projeto, de José Alvarenga, mostrará como é a vida em um presídio de segurança máxima e terá 12 episódios. A estreia está prevista para o início do ano que vem”, adianta a atriz., que na TV passará para o outro lado e será uma prisioneira.

Últimas de Celebridades