Adryana muda nome, canta em inglês e volta com a Rapaziada: 'Nada nos separa'

Aos 42, cantora paulistana fala da retomada da parceria com a formação original do grupo, explica a mudança na grafia do nome e garante não ter se envolvido com os rapazes

Por O Dia

Rio - Adhryana Rhibeiro está curtindo ter voltado a cantar com a Rapaziada, grupo de pagode com que fez sucesso no fim da década de 90. Depois de passear por outros ritmos e até cantar em inglês, a cantora retomou a parceria com a formação original e segue firme e forte na estrada. “Nada vai nos separar”, ela garantiu em entrevista ao iG.

Aos 42, a paulistana revela o porquê do retorno. “Tem muito a ver com o pedido dos fãs. Eles fazem parte dessa retomada”, explicou. “Estamos muito felizes com essa oportunidade de recomeço, de reencontro.”

Adhryana Rhibeiro e a Rapaziada estão de volta em formação original após 14 anosDivulgação

A volta de Adhryana, no entanto, aconteceu com uma grande mudança — a de seu nome, que agora vem com dois agás. "São estudos cabalísticos”, deixou claro. “Eu estudo Kabbalah com o rabino Reinaldo Deraschy. Ele fez gematria cabalística, que é um estudo mais profundo de seu nome, de sua vida. E o ‘agá’ traz a vibração do nome de deus em hebraico. Mas o nome do grupo continua sendo Adryana e a Rapaziada, sem agá.

Separação conturbada

A primeira formação da Rapaziada, com Gelo, Dado e Binho, está ao lado da cantora após 14 anos. "Só faltou o Layft, que seguiu a carreira gospel", explicou Adhryana. Ela relembra, no entanto, que foi um período complicado.

"Tivemos problemas empresariais e isso causou muito desentendimento no grupo. Pessoas falavam umas coisas para mim, outras para eles... O sucesso atrai pessoas que nem sempre são seus amigos. Mas nada como a oportunidade de mudar isso e colocar tudo às claras. Hoje sabemos quem somos, estamos juntos porque queremos.”

Outra “rapaziada”

Depois que foi trocada essa primeira formação, Adhryana foi obrigada a continuar com o grupo por razões contratuais. "Era um projeto de gravadora. Lancei mais dois álbuns até 2004 com uma nova Rapaziada, contratada pela Abril Music. Em 2005 lancei 'Brilhante Raro', produzido pelo Leandro Sapucahy. A música 'Saudade Vem' estourou, mas as pessoas ainda me viam como 'Adryana e a Rapaziada'", recorda.

"Depois lancei o independente ‘Direitos Iguais’, um disco especial pop sobre a obra de Jorge Ben Jor que foi indicado ao Grammy Latino como Melhor Álbum Pop Contemporâneo e venho seguindo nessa batalha.”

Últimas de Celebridades