Por bianca.lobianco

Rio - Após ter ido às ruas a favor do impechment de Dilma Rousseff, Marcelo Serrado foi alvo de duras críticas na web assim que Michel Temer, presidente em exercício, erradicou o Ministério da Cultura de seu ministeriado. Internautas resgataram uma foto em que ele e outros artistas, incluindo Susana Vieira, estavam reunidos para a passeata pró-impeachment da petista. 

A atriz Letícia Sabatella, que sempre se mostrou contra o processo de afastamento de Dilma se solidarizou com seu colega de profissão e fez um pronunciamento por meio do Instagram em defesa de Serrado neste sábado.

Letícia Sabatella sai em defesa de Marcelo Serrado após críticas na webAg. News

"Solidariedade ao meu colega e ator admirável, sempre gentil, Marcelo Serrado: saudade, querido amigo. Estou triste pelo nosso país mergulhado em confusão e ódio. Triste com a falta de ética desse golpe e com esse tempo em que ser adulto nos torna pessoas mais pesadas", começou Leticia, que, ao contrário de Serrado, sempre se posicionou contra o impeachment.

"Temo pelas medidas implantadas contra os mais pobres e por segundo com a nossa Cultura. A captura do nosso imaginário. Nunca imaginei que a maldade pudesse entrar tão arrogada nas mentes das pessoas. Saudade de um tempo de delicadeza, onde as diferenças são admiradas e não massacradas. Ainda clamo para que acordemos juntos desse erro tão feroz contra a delicada democracia", declarou Letícia, dando ênfase que não concorda com o ocorrido.

Marcelo Serrado é alvo de ataque na web após fim do Ministério da CulturaReprodução Internet

Em sua defesa, Serrado deu uma entrevista para o jornal "O Globo" e afirmou que não vê os ataques como sendo diretamente a ele. "Não vejo como uma campanha contra mim. São as pessoas contra si próprias, em um Fla x Flu que prefiro nem comentar. É muito triste esse momento de arrogância que prevalece tanto de um lado quando do outro", disse ele. As pessoas têm que pensar em um país melhor. E nós continuamos na luta. Nós, artistas. Vejo pessoas sérias de ambos os lados".

O ator informou que torce pela criação de uma Secretaria Nacional de Cultura, cujo órgão ficaria ligado diretamente à Presidência da República.

Você pode gostar