Procon Carioca descarta 237 kg em fiscalização durante o festival

Segundo o presidente do órgão, 12% das lojas vistoriadas foram autuadas

Por O Dia

Rio - Um balanço da atuação do Procon Carioca no Rock in Rio mostrou que os fiscais descartaram um total de 237 quilos de alimentos impróprios para consumo. Entre os motivos do descarte estão: a data de validade vencida e o mal-acondicionamento dos produtos.

Alimentos descartadosDivulgação

Durante o evento, 67 estabelecimentos foram fiscalizados pelo órgão. Deste total, oito foram notificados, entre eles Domino’s, Meu Boteco, Geneal, Habib’s e Gouranga Veggie. Na Domino’s, foram descartadas 358 pizzas (71,6 quilos) por estarem em temperatura acima da indicada e com embalagens violadas.

No último dia do evento, foram descartados 22 quilos de alimentos no Gouranga Veggie, entre eles cogumelos shiitake armazenados em temperatura três vezes superior à recomendada para conservação, e queijo parmesão, molho shoyo e pães fora de validade.

Para o presidente do Procon Carioca, Jorge Braz, o balanço mostrou que até empresários de renome continuam cometendo erros básicos sem dimensionar o tamanho das consequências em um evento deste porte. “Os números são absurdos: 12% dos estabelecimentos que fiscalizamos foram notificados. A organização falhou e muito”, disse Jorge Braz.

O descarte é o único procedimento que pode garantir a segurança alimentar nesses casos, pois o alimento pode se tornar tóxico e até mesmo matar. A nutricionista clínica e esportiva Carmine Dornelles explica que há bactérias patogênicas que resistem ao calor e ao frio: “Então, se o alimento já estiver contaminado, fica impróprio para o consumo, mesmo que preparado no fogo. Quando em deterioração, causa danos como gastroenterite e intoxicação, que podem ser muito graves, incluindo o botulismo e a cólera”.

Os notificados têm um prazo de dez dias para apresentar defesa ao Procon Carioca e poderão ser multados.

Últimas de Diversão