Por daniela.lima

Rio - Mais um personagem de ‘Amor à Vida’ está botando suas manguinhas de fora: Jacques, médico interpretado por Júlio Rocha na novela da Globo. Depois de denunciar Lutero (Ary Fontoura) por falta de competência física para continuar realizando cirurgias, chegou a vez do funcionário do hospital San Magno esquentar sua relação com Félix (Mateus Solano). Tudo porque Jacques acredita que, seduzindo o patrão, pode ocupar o cargo de diretor clínico do hospital. 

Júlio Rocha fala sobre seu personagem em ‘Amor à Vida’Divulgação


Intérprete do médico Lutero, que sofre as consequências da ambição de Jacques, Ary Fontoura não tem dúvidas: “Ele é um mau-caráter. Pode até ser eficiente, mas tem essa pressa para conseguir o que quer, como se fosse morrer amanhã”.

Encantado pelo papel, Julio Rocha sai em defesa do jovem médico. “Uma das coisas que fazem de Jacques um tipo especial é o mistério. Nem eu sei os rumos que ele irá tomar”, jura.

A sexualidade do personagem também não está clara para o ator. “Sei que ele paquera umas enfermeiras, mas é difícil saber se ele é gay, bissexual ou heterossexual. Há um jogo muito interessante entre ele e o Félix. Tem que deixar rolar”, defende Júlio.

Ontem, na novela, Félix encontrou Jacques com uma enfermeira no flat do médico. Mesmo enciumado, no capítulo de hoje, ele dá em cima do cirurgião durante um almoço, e diz: “Eu não estou interessado na sua amizade. Quer dizer, não somente na amizade”. Jacques argumenta que Félix é casado e tem um filho. Escuta a seguinte resposta: “Me enrolou pra conseguir tirar o doutor Lutero do seu caminho. Agora, quer me enrolar pra conseguir o cargo dele. Sabe que, para um michê, você é muito caro?”. Jacques jura que nunca teve esse tipo de relação. Mas, quando os dois chegam ao hospital, ele deixa no ar: “Eu nunca digo que dessa água não beberei”.

Assim como seu personagem, Júlio Rocha já declarou ter recebido propostas indecentes. “Mas nunca na televisão. Existe um preconceito em relação à TV e ao teatro, mas essa é uma profissão que exige muito caráter, ao contrário do que dizem por aí”, garante ele. 

Lutero, médico vivido por Ary Fontoura será prejudicado por JacquesDivulgação


Para Ary Fontoura, pessoas que agem como Jacques geralmente têm um triste final. “Você pode fazer sucesso subindo escadas cujos degraus são as costas dos outros, mas, quando você chegar no topo, não vai ter com quem tomar uma taça de champanhe para comemorar, porque estará sozinho”.

O veterano ator conta que, em toda a sua carreira, nunca cruzou com nenhum Jacques. “Não vivi um problema assim. Meus colegas nunca fizeram nada que pudesse me desabonar, nem tentaram passar a perna em mim”, completa ele.

Como um bom aprendiz, Júlio Rocha concorda com o colega de trabalho. “O Ary está certíssimo. O Lutero foi o professor do Jacques na faculdade, é um doutor de prestígio, um homem espetacular, uma entidade que deveria ser valorizada. Em vez de conversar com ele com respeito e generosidade, Jacques fez o contrário e foi contra uma pessoa que sempre o ajudou”, pondera o ator. “Hoje em dia, muitas pessoas vão destruindo todos à sua volta em prol de si mesmas. O resultado da falta de ética os brasileiros têm sentido na pele”.

Com mais destaque por conta de suas façanhas na trama das 21h, Júlio festeja o bom momento da carreira. “Não há dúvida de que esse é um momento especial na minha vida”, comemora.

Você pode gostar