Por tabata.uchoa

Rio - Voltar à ‘Amor à Vida’ era algo inesperado para Lucas Malvacini, intérprete de Anjinho, que fez Félix (Mateus Solano) sair do armário para a mulher Edith (Bárbara Paz), no início da trama. Nas cenas que vão ao ar a partir do dia 27, Aline (Vanessa Giácomo) vai fotografar a pegação dos dois com um celular e entregará o material para Edith, que vai revelar a opção sexual do marido para toda a família.

Anjinho (Lucas Malvacini) vive romance com o malvado Félix (Mateus Solano) em cenas sugestivasDivulgação

“Eu não imaginava que o Anjinho fosse retornar. Quando recebi o roteiro, seria só uma participação, não tinha continuidade. Mas que bom que teve repercussão e eu pude voltar”, conta Lucas, de 23 anos, que também trabalha como modelo. Mas se o público pensa que o tão esperado beijo gay vai acontecer durante os próximos encontros de Anjinho e Félix, tem grandes chances de se frustrar.

“Não tenho essa pretensão de protagonizar essa cena, mas se for do interesse da trama e da emissora, e se tiver no caminho dos dois, claro que eu faria com o maior prazer. Mas o ideal seria que o beijo acontecesse entre o outro casal gay da novela, Niko (Thiago Fragoso) e Eron (Marcello Antony)”, declara o ator.

Mateus Solano e Lucas Malvacini em cena de 'Amor à Vida'Divulgação

Se depender de Lucas, seu personagem poderia ganhar de vez um espaço no coração do vilão e tirar o médico Jacques (Júlio Rocha) do caminho. “Em uma cena, o Félix disse que o Anjinho era o único homem que ele gostou de verdade, eles têm uma história. O Anjinho é um cara resolvido em relação à sua sexualidade, sabe muito bem que o Félix tem poder, é um homem que chama atenção, mas ele gosta mesmo dele. O Jacques é ambicioso, não é declaradamente gay, está confuso”, avalia.

Lucas, que já foi alvo de boatos de que seria homossexual na vida real, não teme ser vítima de piadinhas de mal gosto por conta do personagem. “As pessoas são carentes de informação. Não tenho medo de ser rotulado como isso ou aquilo. Pelo contrário. O assédio está sendo superpositivo e estou muito feliz com a aceitação do público”, garante ele, que tenta não passar uma imagem muito ‘afetada’ durante as suas cenas.

“A proposta era passar naturalidade, algo que se vê nos dia de hoje. A ideia era que o Anjinho fosse um cara natural, como muitos na vida real. Eles são discretos e muito bem-resolvidos nos dias atuais”.

Você pode gostar