Por daniela.lima

Rio - Trabalhar sob pressão é com ela mesmo. Silvia Abravanel tem carta branca do pai, o apresentador e dono do SBT Silvio Santos, para mexer na programação infantil da emissora. Como diretora do núcleo, ela aposta agora todas as fichas no ‘Clube do Carrossel’, exibido diariamente às 18h20 e apresentado por Matheus Ueta e Vitória Zimmerman, que viveram o Kokimoto e a Marcelina na novela-fenômeno ‘Carrossel’. 

Silvia Abravanel entre os atores Matheus Ueta (E), Jean Paulo Campos, Maisa Silva e Vitória ZimmermanDivulgação


“Queríamos aproveitar o sucesso da novela e dar continuidade num programa, mostrando as cenas favoritas e clipes. E está dando certo”, diz Silvia, que admite sofrer cobrança por resultados. “Imagina, sou responsável pela programação infantil da rede. É uma pressão absurda, mas tudo bem. Quando é muito tranquilo, não fico confortável. Preciso de desafio para trabalhar”.

Com médias de 6 pontos, o ‘Clube do Carrossel’ ganhou sobrevida, porque daria lugar a uma reprise da novela. No entanto, Silvia e a cúpula do SBT acharam melhor adiar a reapresentação da trama, que acabou há apenas duas semanas.

Outro trunfo da diretora de núcleo infantil é a escalação de Jean Paulo Campos e Maisa Silva — o Cirilo e a Valéria de ‘Carrossel’ — como apresentadores do ‘Bom Dia & Cia’, pela manhã, que estava em queda de audiência. Para Silvia, não há perigo de o público cansar das crianças. “Quem não é visto não é lembrado. Não acho que corre o risco de a imagem deles saturar. Continuamos o trabalho deles para o público não sentir saudades”, justifica.

Durante cinco anos, Silvia dirigiu Maisa Silva ainda em início de carreira no ‘Bom Dia & Cia’. A experiência, segundo ela, amadureceu as duas.

“A Maisinha foi uma escola para mim. Passei no teste. Agora, está sendo fácil lidar com outras crianças. Estou trabalhando o meu lado mãezona. Elas me chamam de ‘tia’. São muito inteligentes e talentosas, me deixam à vontade para dirigi-las. Mas respeito os limites delas”, diz a diretora, mãe de Amanda, de 7 anos, e Luana, de 15.

Quando começou na TV, Silvia tentou ser apresentadora. No SBT, comandou o ‘Casos da Vida Real’ (2004) e o ‘Programa Cor de Rosa’ (2006). Hoje, aos 43 anos, ela não pensa em voltar para frente das câmeras. “Foi uma experiência válida, adorei, mas não me vejo mais como apresentadora. Estou feliz assim”, garante. Mas ela tem outra missão: “Estamos preparando minha irmã, Patricia Abravanel, para ser a sucessora do meu pai. Eu a dirijo no ‘Roda a Roda’. Ela tem futuro como apresentadora”.

Você pode gostar