Por nara.boechat

Rio - Não era à toa que Dicró gostava de homenagear as sogras em seus sambas bem-humorados. As piadas sobre as ‘velhas’ têm um fundo de verdade. É o que vai mostrar a série ‘Vivendo com o Inimigo’, que estreia hoje, às 22h30, no canal a cabo A&E.

Inspirado na produção americana ‘Monster in Laws’, o programa apresenta o drama de casais brasileiros que vivem em conflito com seus familiares. Na maioria das vezes, a sogra é a vilã, mas também há casos de sogro e cunhado inconvenientes. Cabe aos terapeutas Fernanda Guilardi e Marcio Alleoni ajudar as famílias, identificando quem causa o problema e propondo soluções para evitar que o casamento acabe. Os especialistas se revezam nos oito episódios.

Mariana e Márcio abriram um delivery na casa de SoniaDivulgação

“É mais comum os casos de sogras que têm dificuldade para lidar com o genro, ou a nora. Na série, tem uma que não aceita que a filha saiu de casa para viver com um homem e não depende mais dela”, conta Marcio Alleoni, 33 anos, terapeuta há dez e especialista em mediar conflitos familiares há dois.

O tragicômico é que, muitas vezes, é a sogra quem pede ajuda para o casal. “Quando a gente chega, a relação já está desgastada. Não tive contato prévio com as famílias. Gravava na hora. Mas nos intervalos, havia conversas informais, e eu ficava sabendo mais detalhes sobre o que acontecia”, diz o terapeuta.

O primeiro episódio mostra o drama do casal Márcio e Mariana. O casamento desanda quando eles resolvem abrir um delivery de comida na casa de Sonia, mãe de Mariana. A especialista Fernanda Guilardi entra em cena para evitar que Márcio exploda com a sogra autoritária e mande pelos ares também seu próprio casamento.

Você pode gostar