Por daniela.lima

Rio - A ficha de que está voltando para o entretenimento ainda não caiu. Após 18 anos no ‘Fantástico’, Zeca Camargo assume o papel de âncora do reformulado ‘Video Show’, a partir do dia 18 de novembro. Na nova fase, a atração, que está no ar há três décadas na Globo, ganha palco, banda, convidado e interatividade com uma plateia de aproximadamente 100 pessoas. 

Zeca Camargo não seguirá script para comandar o programa com convidado e plateiaDivulgação


“Senti necessidade de mudar”, diz Zeca, que passou pela MTV e pela TV Cultura antes de chegar à Globo, em 1996. “Estou voltando a fazer algo que trilhei no início da carreira. Nesses dois meses de trabalho, redescobri o prazer de criar. O entretenimento não me assusta, me fascina. Eu me considero um cara criativo, e me pediram para ser bem criativo”.

O apresentador vai ter liberdade para improvisar no ‘Video Show’, diferentemente do ‘Fantástico’. Ele admite que a postura deve ser mais descontraída, já que não seguirá um script, mas avisa: “Não sou ator, não tenho um personagem”. Sem medo de desafios, Zeca topa até cantar no programa, uma ideia do diretor Ricardo Waddington, que o convidou para apresentar a atração em julho. “Achei que ele (Ricardo) estava brincando. Não canto, mas uso bem a voz. Não estamos fazendo um ‘The Voice’, a proposta é brincar, fazer algo lúdico”.

Otaviano Costa, Dani Monteiro e Marcela Monteiro continuam como repórteres, mas podem até dividir o palco com Zeca. Dois novos comunicadores, cujos nomes são mantidos em segredo pelo diretor, ainda vão reforçar o programa. A vinheta — ‘Don’t Stop ’Til You Get Enough’, de Michael Jackson — ganha novo arranjo. A logomarca também muda.

“O horário (13h50) e a minutagem (35 minutos de duração) são os mesmos”, afirma Waddington, que não descarta fazer a atração ao vivo.

Quadros que mostram o arquivo da Globo e o ‘Falha Nossa’ têm lugar garantido. “Mas ele volta revisitado. Não é só mostrar o erro, vamos falar com o artista, saber o que aconteceu”, conta Zeca.

Ao deixar o jornalismo para integrar o time artístico, o apresentador, de 50 anos, mudou o contrato com a emissora e já pode fazer ações de merchandising. “Não pensei nisso ainda. Minha prioridade é fazer o programa. Acho que isso não é possibilidade, é consequência”.

Você pode gostar