Por tamyres.matos

Rio - Quando Luiza Brunet pendurou sua coroa de rainha de bateria, muitos pensaram que a ex-modelo, que requebrou por 29 anos ao som do ziriguidum, levaria uma vida tranquila, longe dos holofotes. Não é bem assim. Aos 50 anos, Luiza ressurge como atriz, na série ‘Correio Feminino’, do ‘Fantástico’ — duas décadas após ser bombardeada por sua atuação em ‘Anjo Mau’ (1994), em reprise no canal Viva —, planeja fazer novelas e anuncia sua biografia ‘Luiza, Made in Brasil’, que será lançada na segunda semana de dezembro.

Luiza Brunet vai atuar em sérieDivulgação

“Acho que sou um exemplo. Luiza Botelho Brunet já inspirou muitas mulheres. Vim de uma classe pouco favorecida, construí uma família, tenho uma profissão e sou uma mulher conhecida e respeitada. Isso não é fácil no mundo machista em que vivemos”, orgulha-se a mãe de Yasmin, 25, e Antônio, 16, do seu casamento de 25 anos com Armando Hernandez.

A decisão de voltar a atuar tem a ver com o momento em que a ex-modelo vive hoje. “Estou muito feliz, em um novo relacionamento (ela namora o empresário Lírio Parisotto há quase dois anos). Coisa rara para uma mulher madura, que muitas vezes não tem coragem de investir numa relação”, diz Luiza, que assume não ter feito um bom trabalho como atriz no passado. “É super-humilde reconhecer as críticas. Não havia entusiasmo ou paixão. Por essa razão, eu resolvi parar de fazer algumas coisas na TV e só aparecer como eu mesma.

O trabalho de agora é diferente (ela interpreta uma mulher na fase madura na série ‘Correio Feminino’). Não eram as rugas, a papinha ou a dobra do braço que importavam”, garante. “A partir de agora, vislumbro a possibilidade de fazer trabalhos semelhantes, que façam diferença na minha vida, inclusive novelas. É muito bom atuar se sentindo segura”, continua Brunet.

Lidando com questões referentes à maturidade na série da Globo, Luiza conta que não tem problemas com o passar do tempo. “Sempre aumento um pouquinho. Estou com 50, falo que tenho 51. Idade é só um detalhe. Não tive crise aos 30, nem aos 40 ou 50. E espero não ter aos 60, 70, 80, 90 e 100 anos”, brinca.

BIOGRAFIA

Em seu livro, escrito pela jornalista Laura Malin, a ex-modelo pretende contar tudo. “Falo de forma leve sobre experiências que tive na vida. Algumas picantes, outras menos, decepções e alguns tombos que tentei camuflar. Espero não ter problema com ninguém. Se tiver, vou resolver”, diz.

Carnaval, agora, só como espectadora ou — quem sabe? — como homenageada de alguma escola de samba. “Dá a maior saudade, mas é definitivo. Não vou ficar lá, com 50 anos, requebrando o esqueleto. Fica meio ridículo”.

Você pode gostar