Por tabata.uchoa
Helena tem ataque de fúria contra LaerteFelipe Assumpção / Ag.News

Rio - Helena (Julia Lemmertz) tem um ataque de fúria contra Laerte (Gabriel Braga Nunes) na novela ‘Em Família’, a partir do dia 28. Ela está no apê de Luiza (Bruna Marquezine), esperando a filha, quando a campainha toca e ela vê pelo olho mágico que é Laerte. Titubeia, mas abre a porta: “O que você quer? Quem está procurando e pra quê? Que eu saiba ninguém aqui está esperando visita!” Laerte fica surpreso. Helena diz: “Não dá para acreditar que você apareça mais de 20 anos depois para me assombrar e, não satisfeito, comece agora a assombrar a minha filha!”

O músico, com um buquê nas mãos, afirma que houve um mal-entendido entre ele e Luiza, e passou para se desculpar. Helena é direta: “Minha filha não aceita presente de estranhos.” Ela bate a porta na cara dele, reabrindo-a e puxando Laerte: “Fala! Põe pra fora o que veio dizer pra minha filha! Que mentiras veio contar? Nunca acertamos nossas contas! Em Goiânia, nos xingamos, nos agredimos, e aquela bofetada que recebi arde até hoje no meu rosto, mas as contas, tintim por tintim, ficaram por pagar.”

Laerte diz que sabe que nunca será perdoado e essa é a razão de seu tormento. Helena: “Foi essa a maldição que lancei contra você! A mesma dor que carrego desde aquela tarde. E que você carregue a certeza de que nunca será perdoado!” Ele: “Que felicidade te traz tanto ódio?” Ela: “Saber que você não vai ter paz nunca! Está pagando o mal que fez. E nós, que mal fizemos para sofrer? Quem sofre injustamente sofre mais do que o culpado!”

Faz-se silêncio e ele diz que todas as queixas são justas, mas que não existe dor que não acabe e pede perdão. Helena afirma que a única coisa que ele pode fazer é desaparecer: “Não quero que se aproxime de mim, da minha família e, principalmente, da minha filha.” Laerte entende que ela não queira perdoá-lo, mas argumenta que não tem razão para fugir. Ela grita: “Te odeio!”

Helena reforça que o amou como nunca. E, quando tudo desmoronou, mergulhou em ódio sem fim: “Assim tem sido meus dias. Infelizes até mesmo quando são felizes.” Ela vai até a porta. Laerte passa e quase se abraçam. Helena lhe dá as costas: “Pela última vez, lhe peço: fique longe da minha filha. E procure não cruzar o meu caminho nunca mais.”

Você pode gostar