Uma atriz portuguesa em 'Boogie Oogie'

Maria João Bastos, que estreou no Brasil na novela 'O Clone, volta ao país a convite de Rui Vilhena

Por O Dia

Apaixonada pelo Brasil%2C atriz está feliz em fazer a novela ‘Boogie Oogie’Divulgação

Rio - Uma estrela internacional acaba de aterrissar em ‘Boogie Oogie’. A portuguesa Maria João Bastos, que estreou na TV brasileira em ‘O Clone’ (2001), está de volta. Desta vez, a atriz, de 39 anos, marca presença por aqui graças a um convite feito há dois anos por um velho conhecido, o autor Rui Vilhena. “Estava fazendo ‘Sedução’, uma novela do Rui em Portugal, quando ele recebeu o convite para vir para cá. Na mesma hora, o Rui falou que queria muito que eu fizesse a primeira novela de autoria dele na Globo. Então, poder voltar pelas mãos do Rui, que eu adoro, é ouro sobre ouro. Assistir ao sucesso dele aqui me deixa muito orgulhosa”, diz.

Já de mangas arregaçadas, Maria João está mergulhada no drama de Diana, que veio para o Rio acompanhar o namorado, Paulo (Caco Ciocler), e agora se vê ameaçada pelo passado dele, que teve um romance com uma mulher casada, Beatriz (Heloísa Périssé). “A Diana é uma mulher apaixonada, dedicada, que largou a vida dela para vir para o Brasil com o namorado e, quando chega aqui, a relação, que era bonita, muda. O Paulo está estranho, distante, então ela vai atrás da verdade”, conta. Mas será que vale a pena investigar o passado de um namorado? “A Diana não é ciumenta, mas têm acontecido muitas coisas que ela não pode ignorar”, defende.

Feliz com a nova passagem por terras brasileiras, Maria João não descarta a possibilidade de prolongar sua estada por aqui caso receba boas propostas de trabalho. “Eu vim só para fazer ‘Boogie Oogie’, mas o futuro a Deus pertence. Da última vez que eu vim ao Brasil fazer uma novela, fiquei cinco anos. Seria ótimo que nesse regresso se repetisse a mesma dose”, torce.

Vontade de ficar por aqui realmente não falta a Maria João. A mais nova moradora de Ipanema ama o Rio. Mas o que a cidade tem de tão especial aos olhos da atriz portuguesa? “São coisas que não se explicam, que se sentem. Desde a primeira vez que pisei no Rio de Janeiro, há 15 anos, eu senti que pertencia a esse lugar. Me identifico com tudo. A minha história com o Brasil é uma paixão antiga que vai durar para sempre”, garante. “Sou apaixonada pelo Brasil, mas não gosto de pensar em nada definitivo, porque tenho projetos em outros países. Fiz muitos trabalhos na França, na Espanha”, conta a artista, que poderá ser vista nos cinemas em 2015 ao lado de John Malkovich, no longa ‘Variações de Casanova’.

Nem perder o sotaque português para, eventualmente, fazer uma personagem brasileira seria um problema. “A gente tem um contato muito próximo com o sotaque brasileiro através das novelas, da música, do teatro.

Se essa oportunidade surgir, será bem-vinda. Estou muito familiarizada em trabalhar sotaques, porque, em cinema, já fiz francesa, inglesa, espanhola. Na verdade, com trabalho tudo se faz”, afirma.

Uma recente experiência de Maria João não a deixa mentir. Sem saber cantar, a atriz aceitou o convite para fazer a cantora Liliane Marise na novela ‘Destinos Cruzados’ e não decepcionou. Muito pelo contrário. Ela virou fenômeno, com direito a gravar CD e fazer show ao vivo para 15 mil pessoas. “Eu não cantava, mas com trabalho tudo se consegue. O sucesso da Liliane Marise foi dos 8 aos 80, atingiu todas as classes sociais.

Essa personagem ultrapassou a novela. Quando acabou, o público pediu uma despedida. Então, fizemos dois concertos para que as pessoas dessem adeus a essa personagem, que levou alegria ao povo em um momento de crise que Portugal atravessava. Ver todo mundo cantando e dançando por duas horas foi emocionante, inacreditável”, recorda.

Últimas de Televisão