‘Não teve censura’, diz Marcelo Adnet

‘Tá no Ar: A TV na TV’, que estreia hoje a nova temporada, vai fazer piada de tudo

Por O Dia

Rio - Ô, abre alas, que a segunda temporada do ‘Tá no Ar: A TV na TV’, com Marcelo Adnet, Marcius Melhem e um bloco de humoristas, vai passar mais afiada do que nunca pela programação da telinha. Do canal aberto ao fechado, tudo vira piada na interpretação escrachada do grupo, inclusive a própria emissora. Na estreia, hoje, a trupe invade a casa do ‘BBB 15’ e conversa com Pedro Bial, do quarto do líder. O episódio foi gravado antes do confinamento.

Marcelo Adnet e Marcius Melhem vão tirar sarro da programaçãoDivulgação


O politicamente correto, que limita principalmente a classe de comediantes, passou batido ali. Nada, segundo Adnet, foi censurado. “A gente teve uma liberdade tão decepcionante”, brinca. 

“Tem um clipe no programa em que diz: ‘Trabalhamos na Globo, mas não concordamos com tudo o que ela fala’. Tudo bem, não tem nada demais nessa afirmação, embora seja engraçado, inesperado e verdade. Eu não sou a Globo, o Marcius não é a Globo... A emissora é um conjunto supercomplexo de pessoas e pensamentos, onde cada um age no seu quadrado. Deixamos o molde antigo e estamos fazendo um humor novo. Não teve censura. Os diretores nos deram carta branca para fazer o que queríamos. É uma política moderna e justa”, conceitua Marcelo.

Aproveitando o gancho sobre a liberdade escrita e falada, quiseram saber como andava a relação dele com a imprensa, depois de ter sido flagrado aos beijos com outra mulher, no Leblon, ainda estando casado com Dani Calabresa. “Está maravilhosa. Eu não tenho assessoria, e não acho que deva censurar, latir contra a imprensa. Acho que ela acerta, erra, assim como a classe de atores. É natural. Às vezes, a gente ouve o que não quer, ou fala o que as pessoas não querem ouvir. O jogo democrático é esse. O convívio é algo inteligente. Seria burro da minha parte se eu cultivasse ódio ou canalizasse raiva. Não sou dono do discurso de ninguém. Vocês falam o que quiserem, e eu faço o que eu quiser. Eu sorrio, choro, brinco... Sou a pessoa que sou, e ninguém tem nada a ver com isso. Sou a favor da liberdade de imprensa. Sou jornalista formado. Posso não concordar, mas também não posso ir a público dizer quem está certo ou errado”, enfatiza.

A traição virou o assunto mais comentado nas redes sociais e, mesmo diante de toda a repercussão, Adnet optou por manter a lei do silêncio. “Meu trabalho está aberto a todos, mas, quando são questões pessoais, eu prefiro deixar para o pessoal. É preciso que se entenda que a pessoa pública é antes pessoa, depois pública. Isso não é respeitado, mas tudo bem”, conforma-se. 

Águas passadas. Vida que segue, e Dani Calabresa passou a ser colega de emissora do marido. Ela deixou a bancada do ‘CQC’, da Band, e já começou a gravar o novo ‘Zorra Total’, dirigido também por Maurício Farias, o mesmo de ‘Tá no Ar’. “Desejo toda sorte para ela. Acho que é uma renovação necessária para o programa. A audiência e a crítica pediam isso. Torço para que todo mundo seja feliz nele”, deseja Adnet.

Voltando ao humorístico, Melhem conta que, para manter o frescor, foram elaborados quadros inéditos. Os de maior sucesso da primeira temporada também foram mantidos. A ‘Galinha Preta Pintadinha’ ganhará uma irmã: a ‘Galinha Convertidinha’. Também terá paródia do filme ‘Frozen: Uma Aventura Congelante’ e do desenho animado ‘Bob Esponja’, que, na atração, vira ‘Bebe Esponja’.

Outra novidade é a participação de vários artistas, como Bruno Gagliasso, Lulu Santos, Antonio Fagundes e Alexandre Nero, no quadro ‘A Vingança dos Famosos’, no qual eles vão tietar os anônimos. Regina Duarte está no primeiro programa. “Ela encontra um tabelião e quer que, naquele momento, ele reconheça uma firma para ela”, adianta Melhem. “Também teremos uma ‘Malhação’ através dos tempos. Como seria uma novela adolescente no Brasil Colônia, por exemplo? E em todas as épocas estará o Mocotó (André Marques)”, conta ele.

Últimas de Televisão