Na reta final de ‘Boogie Oogie’, Bianca Bin faz balanço da trajetória de Vitória

Uma personagem que se transformou através da dor

Por O Dia

Rio - Se a felicidade não traz aprendizado, a tristeza proporciona uma série de lições. A Vitória de ‘Boogie Oogie’ (Bianca Bin) chega à reta final da novela das 18h, que termina sexta-feira, transformada pela dor. A jovem mimada começou como filha de Carlota (Giulia Gam) e Fernando (Marco Ricca), descobriu que havia sido trocada na maternidade e que seus pais eram Beatriz (Heloísa Périssé) e Elísio (Daniel Dantas), e ainda ficou sabendo tempos depois que seu pai biológico é, na verdade, Paulo (Caco Ciocler). Depois de todo esse turbilhão de emoções, a patricinha dos anos 70 virou outra pessoa. 

Vitória (Bianca Bin) e Sandra (Isis Valverde)%2C ambas apaixonadas por Rafael (Marco Pigossi)%3A Bianca Bin acredita que%2C se encontrar um novo amor%2C sua personagem selDivulgação


“A vida ensina, e muito. A Vitória tinha dois caminhos: se rebelava de vez ou amadurecia. Ela escolheu o caminho do amadurecimento. A Vitória está mais tranquila, mas, lógico, lutando com todas as forças contra a Carlota, que é uma criminosa. Ela também guarda o rancor de nunca ter recebido afeto da mãe que a criou até os 23 anos”, diz Bianca.

O passo inicial rumo ao crescimento já foi dado pela personagem, que ainda tem um longo caminho a seguir. “A Vitória continua obcecada pelo Rafael (Marco Pigossi), que é completamente apaixonado pela Sandra (Isis Valverde), ou seja, ela não tem chance. Torço para que ela encontre um amor verdadeiro, alguém para quem ela possa transferir esse amor. Se aparecer essa pessoa na vida da Vitória, ela será uma mulher muito mais feliz e vai conseguir fazer as pazes com o mundo”, aposta a atriz, que acredita que Vitória e Sandra podem zerar as diferenças até o último capítulo. “O problema delas é só o Rafael, então, quando esse assunto estiver resolvido, não terá mais por que a Vitória encrencar com a menina.”

Casada com o ator Pedro Brandão, Bianca é bem-resolvida no amor e o oposto de Vitória também em outros sentidos. Mas até que a atriz, de 24 anos, não rejeitaria ter algumas características da personagem. “Nós somos muito diferentes. Mas eu gostaria de ter esse peito aberto para o mundo que ela tem. Vitória encara qualquer dificuldade, se lança sem medo. Admiro a coragem dela. Sou mais discreta, tímida e reservada. A Vitória me deixou mais segura”, conta.

De ‘Boogie Oogie’, Bianca levará ainda o prazer de conhecer um tempo que não viveu, já que, em 1978, época em que a novela era ambientada, ainda nem sonhava nascer. “A única referência que tinha dos anos 70 eram os discos de vinil que o meu pai guardava. Adoro as músicas dessa época. Tenho os CDs de ‘Boogie Oogie’ volume 1 e 2. Poder vivenciar a atmosfera dessa época através da novela é incrível”, vibra. Já trazer para o seu guarda-roupa a moda dos tempos de ‘Boogie Oogie’ é coisa que a atriz não conseguiu. “Acho demais poder usar meia com sandália alta. Essa moda podia voltar com tudo, né? É tão mais confortável. Mas não consegui levar isso para a minha vida”, lamenta.

Depois de emendar vários trabalhos na Globo, Bianca só pensa em descansar. “Preciso de férias. A viagem já está fechada. Eu e o meu marido vamos ficar um mês em Nova York, um mês em Portugal e um mês entre Paris e Amsterdã. Quero muito conhecer lugares do Brasil que não conheço, mas ainda não vai ser dessa vez”, comenta. No segundo semestre, a atriz deve reabrir sua agenda profissional, mas o que vai vir por aí ainda é mistério. “Tenho um projeto de teatro, mas ainda não posso falar. Não sei se vou fazer outra novela este ano, mas a Globo é dona de mim até 2019.”

Últimas de Televisão