'Estou a serviço da arte', diz Marcos Pasquim sobre beijo gay

Ator será um instrutor de saltos ornamentais homossexual em 'Babilônia'

Por O Dia

Rio - Na última semana, um dos assuntos mais comentados foi o beijaço que Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg deram no primeiro capítulo de ‘Babilônia’. Ao contrário de outros autores, Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga, além de não guardarem a tão comentada cena só para o final da trama, ainda prometem mais trocas de carinho no decorrer da história.

Marcos Pasquim viverá um gay enrustido em 'Babilônia'Ag. News

Marcos Pasquim também vai dar o que falar. O ator, que até então carregava o estigma de pegador descamisado da faixa das sete, estreia no horário nobre na pele do gay enrustido Carlos Alberto. Pasquim deixa claro que o personagem não terá nenhum tipo de afetação: “Ele não tem trejeitos. Ultimamente, a TV tem caricaturado um pouco os gays. Ele, não. O Carlos é cheio de conflitos. Ele se nega, principalmente quando vê que o filho não aceita.” Questionado se torce pelo beijo gay do personagem, o ator não se intimida: “Estou a serviço da arte. Se precisar, estamos aí... A TV só reflete o que a sociedade está passando.”

Carlos Alberto é instrutor de saltos ornamentais e figura muito respeitada no esporte. Recém-separado, nunca teve um relacionamento homossexual, até conhecer e se apaixonar por Ivan, instrutor de slackline e gay assumido, vivido por Marcello Melo Jr.. O maior preconceito, Carlos vai enfrentar em casa, com o filho, Fred (Filipe Ribeiro), um playboy mau-caráter e homofóbico. “Saí da minha zona de conforto. É um personagem novo, num horário novo, e que me instiga muito. A sexualidade, ele descobriu lá atrás, mas não deu vazão. É um caso mais comum do que a gente imagina”, explica o ator.

Últimas de Televisão