Participante de pegadinha do zumbi ganha R$ 70

Cearense comprou um liquidificador. Médico diz que quadro poderia provocar enfarte

Por O Dia

Rio - Se a pegadinha do ‘Zumbi no Metrô’ deixou Silvio Santos feliz da vida por conta da audiência (deu o segundo lugar ao SBT, com 9,4 pontos em SP, durante os dez minutos do quadro) e da repercussão nas redes sociais, a cearense Aurileide Silvestre Gomes, uma das moças que caíram na brincadeira, comemorou mesmo os R$ 70 que ganhou por conta de sua participação no quadro.

Cenas da pegadinha ‘Zumbi no Metrô’%2C que virou sucessoReprodução


Aurileide contou que comprou um liquidificador com o dinheiro. Nas imagens da pegadinha, ela aparece dando uma bolsada na cabeça dos zumbis. “Fui convidada para participar de um teste do metrô, testar o ar-condicionado e avaliar o serviço. Eles pagaram R$ 70 e, como estava precisando comprar um liquidificador, esse dinheiro me serviu. E também queria conhecer o metrô, era uma novidade, nunca tinha andado. Tão chique, tão bonito, a cara da riqueza. Ia passear de metrô, testar e ainda ganhar R$ 70, oh, tá bom demais”, disse ela, que é hipertensa, em entrevista ao UOL. “Tenho pressão alta, mas os médicos mediram e estava ok.”

A superprodução, que já teve mais de 3,5 milhões de visualizações no YouTube e repercussão em vários países, foi gravada no metrô do estado do Ceará. Uma equipe de profissionais do SBT viajou até Fortaleza para preparar a pegadinha. Foram utilizados 70 figurantes, que demoraram cerca de dez horas para ficarem caracterizados como zumbis. As gravações aconteceram durante dois dias, sempre à noite. Entretanto, o ‘evento’ gerou mal-estar na cidade, já que Ivo Gomes, atual secretário das Cidades, pediu investigação dos responsáveis por autorizar a filmagem, que ocorreu em outra gestão. Procurada pelo DIA, Ana Cristina Cavalcante, coordenadora de imprensa do Governo do Ceará, informou que não tem conhecimento do que foi combinado com o SBT, já que toda autorização e gravação foram realizadas em 2014, quando o Governo do Ceará e o metrô da cidade estavam sob outra administração.

Apesar do sucesso nas redes sociais, a pegadinha chamou a atenção de alguns profissionais da saúde. O cardiologista Alexandre Scotti (Coordenador da Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Badim e médico titulado como especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia) diz que esse tipo de brincadeira pode trazer riscos aos participantes.

“Qualquer estresse emocional ocasiona uma descarga de adrenalina, fazendo, de imediato, que se tenha um aumento da frequência cardíaca. Em uma pessoa jovem, sem doença cardiovascular, isso não traz dano à saúde. Mas, em um paciente com doença cardiovascular, pode ocasionar uma urgência hipertensiva, enfarte agudo do miocárdio ou até um evento de morte súbita”, comenta o especialista. “Tudo que leva ao momento de descontração é válido, mas tem que ser feito com cuidado e segurança. Senão, pode trazer consequências desastrosas. O ideal é saber que tipo de pessoa vai participar do quadro. Não pode expor ninguém ao risco”, salienta o cardiologista.

Sérgio Malandro, que é considerado um dos principais nomes quando o assunto é pegadinha, garante que a fórmula é um sucesso para a boa audiência. “Em 2000, fiquei em primeiro lugar na audiência do CNT Gazeta só por conta das pegadinhas, com 19 pontos. As pegadinhas são uma boa receita. As pessoas querem rir, se divertir, são sucesso no mundo inteiro. Não acredito que seja nada combinado”, comenta Sérgio Malandro, que ainda faz elogios a Silvio Santos.

“Tem que haver cuidado, saber com quem vai brincar. Muita gente não gosta, né? Mas as pegadinhas do Silvio são muito boas. Também gosto das do ‘Pânico’. Mas as melhores são as pegadinhas do Sérgio Malandro mesmo”, diverte-se.

Últimas de Televisão