Por roberta.campos

São Paulo - O reality show "Cozinha Sob Pressão" está de volta ao SBT com o Carlos Bertolazzi no comando da atração. O canal anunciou mudanças no número de participantes e também no horário do programa em coletiva na manhã desta quarta-feira. Mas quem assiste pode esperar o exigente chef de sempre.

"No meu trabalho já exagerei estando certo ou errado. Já pedi desculpas e resolvi tudo tomando uma cerveja. No programa, os participantes me xingam e me mandam para a PQP, mas ninguem vai ser eliminado por me xingar", afirmou Bertolazzi.

Carlos BertolazziDivulgação

Na segunda temporada, o "Cozinha Sob Pressão" deixa as tarde de sábado e será exibido no horário nobre. Além disso, o número de participantes aumentou, passando de 14 para 16. Foram 150 cozinheiros indicados ao programa e duas peneiras para chegar aos selecionados.

"Com o aumento de participantes, eu posso eliminar quantos cozinheiros eu quiser por programa. Posso tirar quatro de uma vez ou nenhum", disse Bertolazzi. Ele também espera um nível ainda mais acirrado de disputa. Segundo o apresentador, será possível perceber ao longo dos 13 episódios da temporada que a qualidade técnica dos concorrentes melhorou. O programa será exibido a partir do dia 25 deste mês.

Igual na frente das câmeras e na sua cozinha

Mais bravo de todos os chefs apresentadores de reality show da TV brasileira, Carlos Bertolazzi falou que tem na frente das câmeras o mesmo comportamento que demonstra na cozinha de seu restaurante, o Zena.

"O ambiente de uma cozinha tem muito estresse e esse é o único reality que mostra como uma cozinha de um restaurante funciona verdadeiramente", sentenciou. No final, as coisas se ajeitam. "Na semana passada, um cozinheiro do meu restaurante que está aqui (na coletiva) pediu demissão. É verdade, mas já está tudo resolvido", exemplificou.

"Me perguntam se grito assim na cama"

O comportamento de Bertolazzi chama a atenção e até desperta curiosidade. "As pessoas na rua me falam 'quem bom que você vai voltar' ou 'estava louca para ouvir seus gritos de novo'. Alguns até me perguntam se eu grito assim na cama", diverte-se. "O assédio é muito grande", completa.


Você pode gostar