Por que 'Sete Vidas' vai deixar saudades? Veja lista com sete motivos

Novela termina nesta sexta-feira após quatro meses no ar e será substituída por 'Além do tempo'

Por O Dia

O casal Lígia (Débora Bloch) e Miguel (Domingos Montagner) foi um dos pontos altos da tramaDivulgação

Rio - O último capítulo de "Sete Vidas" irá ao ar nesta sexta-feira e, a novela que conquistou a audiência e conseguiu números até melhores que "Babilônia", atual trama das 21h da Globo, deve deixar saudades.

Veja sete motivos que vão nos fazer sentir falta da trama de Lícia Manzo e dos dramas de Miguel, Lígia, Pedro, Júlia...


1 - Dramas da nossa vida

Quem nunca sofreu por um amor? Ou quantas mulheres não tiveram dificuldades para ter filhos? Os dramas de “Sete Vidas” são reais e podem acontecer com qualquer um.

2 - Personagens reais

É possível encontrar pessoas como Júlia, Pedro ou Miguel por aí, em um passeio na praia ou na cidade. A novela tem um tom diferente, por exemplo, de “Babilônia”, que explora vilões muito maus como Beatriz (Glória Pires) e Inês (Adriana Esteves). Aqui, todos tem suas crises e sentimentos e são gente como a gente.

3 - Temas duros de forma sutil

O tema central da novela foi a doação de sêmen e o anonimato do doador, assuntos discutidos em todo o mundo. Mas outros tópicos secundários também prenderam a atenção do público, como a relação conturbada de Luis (Thiago Rodrigues) com Branca (Maria Manoella), a crise de Irene com a maternidade (Malu Galli) ou o fim do casamento de Isabel (Mariana Lima) e Lauro (Leonardo Medeiros).

Todos os temas foram apresentados com bons diálogos e sem impor vilão ou mocinho. E ainda teve a questão da homossexualidade, discutida na trama, mas apresentada de forma sutil com Esther (Regina Duarte).

4 - Cenários e viagens

A trama começou com belas imagens da Patagônia, passou por mergulhos e passeios em Fernando de Noronha e ainda contou com a viagem de Miguel (Domingos Montagner), Julia e Felipe para a Antártica.

5 - Diálogos inteligentes

As conversas entre os personagens sempre chamaram a atenção. Todas as frases eram bem elaboradas e mostraram o sentimento de quem estava em cena. A marca da autora Lícia Manzo, que já disse se inspirar na Disney para fazer seus textos, estava ali, na melancolia dos personagens.

6 - Sintonia entre os atores

“Sete vidas” repetiu parceiras da TV e a fórmula deu certo. Isabelle Drumond e Jayme Matarazzo atuaram pela quarta vez juntos. Já Débora Bloch e Domingos Montagner repetiram o par romântico que fizeram em “Cordel Encantado”. A obra também repete a parceria Jayme Monjardim e Lícia Manzo, que trabalharam juntos em “Vida da Gente”, de 2011.

Isabelle Drummond interpretou Júlia, uma das protagonistas de 'Sete Vidas'André Luiz Mello / Agência O Dia


7 - Galãs de fazer inveja

A novela contou com um verdadeiro time de galãs. Desde Domingos Montagner, que como Miguel arrasou os corações de Lígia (Débora Bloch) e Marina (Vanessa Gerbelli), até Jayme Matarazzo e Michel Noher, que disputaram o amor de Julia como Pedro e Felipe. Isso sem falar em Thiago Rodrigues, um charme com o óculos e o visual social de Luis.

Últimas de Televisão