Personagem de Marcus Majella em ‘Vai que Cola’ comanda o ‘Ferdinando Show’

Atração estreia nesta segunda no Multishow

Por O Dia

Ferdinando faz entrevistas com personagens conhecidos e celebridadesJu Coutinho / Divulgação

Rio - É num cenário que reproduz a recepção de um hotel cinco estrelas que Ferdinando, vivido por Marcus Majella, vai brilhar. O afetado concierge, personagem oriundo do seriado ‘Vai que Cola’, comandará seu próprio talk-show, mesclando entrevistas, quadros e números musicais inspirados em suas divas. Com 20 episódios, ‘Ferdinando Show’ estreia amanhã, às 22h, no Multishow.

“A responsabilidade é maior, porque sou eu o tempo inteiro no programa. Mas acho que veio no momento certo. O Ferdinando está muito vivo, é muito presente na memória do público, após duas temporadas. Isso me dá mais segurança”, diz Majella.

No talk-show, ele entrevista personagens conhecidos do público, como Fátima (Samantha Schmütz), Filó (Gorete Milagres) e Gabi Herpes (Ceará), além de receber celebridades como Alcione, Viviane Araújo, Narcisa Tamborindeguy e Valesca Popozuda.

“A conversa com personagens é meio roteirizada, mas tem muito improviso. Já com os famosos não tem ensaio. Anitta, por exemplo, chegou para gravar e não teve nada combinado”, conta.

Na abertura de cada programa, Ferdinando faz um número musical coreografado e cheio de glamour. “Ele aparece vestido como as divas que ama (Lady Gaga, Madonna, Cher e Beyoncé)”, adianta.

No Multishow desde 2010, Marcus Majella comemora o bom momento, mas não esquece os tempos bicudos. Na época das vacas magras no teatro, o apoio veio do comediante Paulo Gustavo, seu amigo há mais de 15 anos e colega do curso de teatro da CAL (Casa das Artes de Laranjeiras).

“Fiquei uma época sem grana, minha mãe ajudava, e o Paulo me chamou para ser contrarregra do espetáculo dele, até eu arranjar uma coisa melhor. Foi daí que ele criou para mim, no seriado ‘220 Volts’, o personagem Marquinhos”, lembra.

Não é à toa que Paulo Gustavo é um dos primeiros convidados do talk-show, encarnando a Bicha Bichérrima. “Ele fala que a gente faz sucesso na vida, que nossa amizade se reflete no palco”, diz.
Como sua trajetória não foi fácil, Majella garante que está mais maduro: “Tenho o pé no chão. Não sou deslumbrado. Não faço grandes planos, nem penso a longo prazo. Estou mais preparado para o sucesso. Não sei se teria cabeça para lidar com isso há dez anos.”

Últimas de Televisão