Romântico, Klebber Toledo joga limpo no amor e diz: 'Gosto de atitude'

'Acho que mulher gosta de se sentir segura de alguma forma', afirma o ator, que atualmente está no ar em 'Êta Mundo Bom'

Por O Dia

Rio - Klebber Toledo conseguiu uma folguinha nas gravações de ‘Êta Mundo Bom!’ para conferir de perto, a convite da IMR MKT (agência de marketing esportivo), a final da Liga dos Campeões, em Milão, na Itália. Não saiu de lá vitorioso, já que seu Atlético de Madrid perdeu nos pênaltis para o Real Madrid. Mas nada que tenha abalado seu coração de torcedor. Surfista e ex-jogador profissional de vôlei, Klebber não é afeito a dribles e passes. Prefere as arquibancadas aos gramados. “Não sei jogar futebol. Acompanho, gosto, mas não é muito a minha onda”, deixa claro o ator, que posou para as fotos de capa no entorno da Piazza del Duomo, um dos principais pontos turísticos da cidade.

Ex-golpista da novela ‘Êta Mundo Bom!’%2C Klebber Toledo curte dias de folga em Milão%2C na ItáliaDivulgação

De volta à roça, seu personagem, o boa-pinta e golpista Romeu, não mede esforços e tem sofrido as maiores humilhações para reconquistar a caipira Mafalda (Camila Queiroz). Para Klebber, tudo tem limite. Até para lutar por uma grande paixão. “Quando eu olho nos olhos e vejo que não tem mais nada, aí acabou. Sou bem decidido, sei o que quero. Sou um cara bacana, não cometo vigarices para ter que correr atrás dessa forma.” Por amor, ele acredita que é possível, sim, uma redenção. “Ninguém muda ninguém. Se estou agindo errado, eu é que decido melhorar. Mas acho que o amor é transformador”, avalia.

As mentiras de Romeu são justificáveis, segundo o ator, que prefere a verdade por pior que seja. “Existem mentiras e mentiras. Numa relação a longo prazo, certas falhas não podem acontecer, porque quando quebra a confiança é para sempre. Você tem que pensar no que te faz feliz. Cada caso é um caso. O Romeu fingiu ser outra pessoa, mentiu para conquistar a Mafalda, ele não a traiu. Errou e está tentando se redimir. Eu jogo limpo. Não entro num relacionamento para ter o que esconder. Se estou apaixonado vou mentir para quê? Para ter mais uma preocupação? Claro que não.”

A malandragem do personagem atrai algumas mulheres. Mas se é dos canalhas que elas gostam mais, Klebber não entra no mérito da questão: “Acho que a mulher gosta de se sentir segura de alguma forma. Com ela no controle ou não. O cara safado desperta curiosidade porque fala na cara, chega junto. Mas é questão de gosto. Tem quem prefira os mais discretos. O Romeu tem seu charme, é galanteador. Só que depois de apanhar tanto, ele anda meio cabisbaixo.”

Romântico%2C Klebber Toledo joga limpo no amor e diz%3A 'Gosto de atitude'Divulgação

Na história de Walcyr Carrasco, a caipira está descobrindo sua sexualidade e não tira o ‘cegonho’ de Romeu da cabeça. Nas ruas, o assédio é inevitável. “Rola de tudo, mas eu levo na boa. Em todo lugar todo mundo, de qualquer idade, só quer saber do ‘cegonho’. O público torce pelo casal”, aposta ele, que embarcou no papel de tal maneira a ponto de ficar pelado (de tapa-sexo) no horário das seis — uma das cenas mais compartilhadas nas redes sociais, em que Mafalda rouba as roupas do pretendente e o deixa nu na fazenda: “Vou trabalhar tão feliz que não tenho problemas com isso. Se precisar, eu fico careca, gordo, pelado... Basta o personagem valer a pena que eu topo qualquer sacrifício.”

Se o ex-vigarista cansou de aplicar golpes no início da trama, na vida real a avó de Klebber já foi vítima de um estelionatário: “Eu tinha passado o fim de semana fora e calhou de a minha avó receber a ligação de um bandido se passando por mim, dizendo que eu tinha sofrido um acidente, que precisava de dinheiro e que não era para contar para minha mãe. Agoniada, ela deu dinheiro para o cara”, conta.

Prestes a completar 30 anos, o ator não assume um relacionamento há tempos, nem se sente cobrado. “Não tenho pressa para nada. Eu me cobro produzir, trabalhar, cuidar da minha família”, reforça o paulista, que não se intimida com cantadas. “Adoro mulher de atitude.” Mas tire o cavalinho da chuva as interesseiras: “Depende muito do lugar que você frequenta. Eu nunca fui um cara de balada, de bagunça. Estou mais maduro e sei quando tem maldade e quando não tem”, frisa.

Como na trama, o primeiro amor a gente não esquece, nem ele. Mas o artista não é de se entregar tão facilmente. “Fui entender o que era amor mais velho. Não me apaixonava tanto.” Romântico à moda antiga, ele acredita em monogamia: “E é o que eu busco. Me casar, ter filhos, formar uma família. O casamento é uma grande diversão. Não é pela roupa, igreja, é para comemorar o fato de ter encontrado a pessoa que vai viver o resto da vida comigo, porque ninguém casa para se separar.”

Beleza nunca foi um fardo para o ator: “Já passei dessa fase de ter que provar alguma coisa. O rótulo de galã sempre vai existir, mas minha carreira é longa. Tem gente que busca ser celebridade, eu busco emocionar, fazer arte de verdade.”

Focado na carreira, Klebber se prepara para estrear como assistente de direção do musical ‘Isaurinha Garcia’. E ainda está no elenco do longa ‘3000 Dias no Bunker’, sobre o Plano Real.

Últimas de Televisão