Vanessa Gerbelli vive dilema em ‘Malhação’

Atriz acredita que amor entre uma mulher mais velha e um rapaz ainda é visto com preconceito

Por O Dia

Atriz conta que Ana vai se aproximar ainda mais de TitoDivulgação

Rio - Vanessa Gerbelli, 42 anos, interpreta Ana, uma publicitária dividida entre um casamento praticamente falido com Miguel (Marcello Airoldi) e a paixão pelo jovem atraente Tito (Guilherme Leicam) em ‘Malhação’, da Globo. A atriz, que namorou por dois anos o ator Gabriel Falcão, 17 anos mais novo, acredita que o amor entre pessoas de diferentes idades ainda é algo que o Brasil vê com certo receio. “Prestei contas à sociedade, que encara esse tipo de relacionamento com preconceito e não como um relacionamento comum. Falei do meu namoro na TV e não me incomodou como achei que iria. O importante é trazer essas discussões para o mundo e essa é uma das funções do artista. Abrir portas e dar possibilidades”, frisa.

Na trama, o coração de Ana pode estar dividido, mas Vanessa não esconde sua torcida. “Com a saída do Miguel de casa, acredito que o natural será que a Ana se aproxime cada vez mais do Tito. Mas antes de isso acontecer, ela ainda lutará por esse casamento. Apesar da paixão pelo outro, ela lutará pelo amor por Miguel, são mais de 15 anos juntos”, afirma.

Mas fazer ‘Malhação’ significa ter menos prestígio? “Acho que esse raciocínio tem a ver com o fato dos protagonistas serem jovens. Quando se entra em uma novela para adolescentes, sabe-se que o seu papel não terá tanto destaque quanto os adolescentes da trama. Mas não foi isso que aconteceu no meu caso”, pontua. Logo nos primeiros capítulos, a personagem perdeu um dos filhos em um trágico acidente de carro. Depois, foram as crises no casamento e, agora, o triângulo amoroso ganhando cada vez mais espaço na trama. Essa roubada de cena também aconteceu em ‘Em Família’, quando a atriz interpretou Juliana, uma mulher obcecada por ter um filho, que tentou roubar a filha da empregada e teve um romance conturbado com o malandro Jairo (Marcello Melo Jr). “Os papéis periféricos contam histórias bem interessantes. Como foi a Juliana, de ‘Em Família’”, completa.

Vanessa vai na contramão de algumas atrizes, que sonham em viver várias protagonistas na carreira. “É menos pressão, tem também responsabilidade, mas não como a heroína da história. Quando tive meu filho, Tito (fruto do relacionamento com o diretor Vinícius Coimbra), tive que voltar a trabalhar quando ele estava com cinco meses só para fazer uma protagonista, a Alice, de ‘Amor e Intrigas’, da Record. Grava-se muito, tem muita responsabilidade e nem sempre são as melhores cenas”, diz.

Solteira desde janeiro deste ano, Vanessa não tem pressa de encontrar sua cara-metade. Mas ela ainda quer mais um herdeiro. “Vontade de ter um outro filho ainda tenho. Mas agora a questão é operacional. Tenho 42 anos e fica mais difícil. Um relacionamento não é algo que se planeje. É só estar aberta, com a autoestima saudável, que as coisas acontecem”, torce. 

Projeto de CD e crítica à Olimpíada

Vanessa Gerbelli já deu aulas de inglês e já fez telegrama animado só para ganhar uma grana extra para ser atriz. Atualmente, ela tem um projeto de CD com o irmão, Jean Gerbelli. “Acabei de gravar um CD com meu irmão. Cantamos juntos desde pequenos e agora fazemos releituras de canções dos anos 80, como dos Paralamas do Sucesso e Legião Urbana. O lançamento será em breve. Ele na guitarra e eu no vocal. Ainda quero aprender a tocar algum instrumento”, diz. Na Globo, Gerbelli é contratada por obra e estará em uma próxima novela da emissora, mas faz mistério. “Falta só assinar o contrato. Não posso antecipar nem o nome”, observa. “Depois de gravar ‘Malhação’, pretendo finalizar o projeto com meu irmão e ir com meu filho para São Paulo visitar nossa família. Vamos fugir da Olimpíada. Me incomoda muito todo esse escarcéu. Acho tudo muito delirante sediar um evento desse porte com tantas urgências mais importantes e nós oferecendo algo para gringo ver”, analisa.

Últimas de Televisão